GeoEstratégia, Aviação, Defesa, História, Conflitos, dentre outras coisas...

quinta-feira, março 31, 2011

China vai ultrapassar Estados Unidos em produção científica antes de 2020

By on 31.3.11
A China poderá ser o maior produtor de artigos científicos já em 2013, ultrapassando os Estados Unidos, diz um relatório daRoyal Society de Londres que analisou o estado da colaboração científica mundial.

“O mundo científico está a mudar e novos jogadores estão a surgir rapidamente”, disse em comunicado Chris Llewellyn Smith, antigo director do CERN e o presidente do grupo consultivo do estudo, intitulado “Conhecimento, redes e nações. A Colaboração Científica Global no século XXI”.

Segundo o relatório, a produção científica continua a florescer. Entre 2002 e 2007, o dinheiro gasto em investigação passou de 561 para 813 mil milhões de euros, ao mesmo tempo que o número de investigadores subiu de 5,7 para 7,1 milhões. Países como a Índia, o Brasil, o Irão, a Turquia ou mesmo a Tunísia estão a apostar cada vez mais na ciência e há uma colaboração internacional maior.

“Além da emergência da China, vemos um crescimento no Sudeste asiático, no Médio Oriente, no Norte de África e noutras nações. O aumento de colaboração e investigação científica é muito bem-vindo. No entanto, nenhuma nação que foi historicamente dominante pode dar-se ao luxo de se apoiar nas conquistas passadas se quer ter a vantagem competitiva a nível económico que ser-se um líder científico proporciona”, disse o inglês.


A China é o segundo país que mais publica artigos científicos. Entre 1993-2003 e 2004-2008, a percentagem mundial de publicações do gigante asiático passou de 4,4 para 10,2 por cento, enquanto nos Estados Unidos decresceu de 26 para 21 por cento. O terceiro lugar vai para o Reino Unido que passou de 7,1 para 6,5 por cento.

O número total de artigos publicados pelos EUA vai continuar a aumentar, mas “algures antes de 2020, espera-se que a China ultrapasse os Estados Unidos”, diz o relatório. Há projecções que apontam que esse momento será já em 2013.

Mas o aumento da qualidade científica, avaliada pelo número de vezes que um artigo é citado, não está a acontecer tão rápido e a China vai demorar mais de uma década para chegar ao rácio ocidental. A percentagem de citações do país, apesar de ter subido de quase zero para quatro por cento entre os dois períodos, ainda está longe das citações dos EUA, que rondam os 30 por cento.

Fonte: Publico

Windows 8: fabricantes de PCs ja testam

By on 31.3.11

A Microsoft começou a distribuir no início da semana, para um grupo selecionado de fabricantes de PCs, a versão de testes do Windows 8.

Participam do teste do sistema operacional, com lançamento previsto para 2012, as principais empresas que vendem computadores que saem com Windows de fábrica, como HP e Dell.

O sistema para testes é distribuído pelo sistema Microsoft Connect, e de acordo com o site WinRumors, teria o número de versão 7971.0.110324-1900. A expectativa do mercado é de que a Microsoft libere uma versão beta, para testes em público, em setembro. O Windows 7 teve sua versão beta liberada para o público em janeiro de 2009, com lançamento do produto final em outubro do mesmo ano.

O que se sabe do Windows 8 por enquanto é que o sistema será o primeiro da Microsoft a sercompatível não apenas com chips com arquitetura Intel, mas também com processadores de tecnologia ARM, presente em smartphones - como o iPhone, por exemplo - e tablets.

O G1 apurou ainda que o sistema deve ter duas interfaces para o usuário, com uma aparência mais tradicional para computadores operados via mouse e teclado e outra para máquinas com tela sensível ao toque, como tablets.

Fonte: G1

Cougar suiço se acidenta

By on 31.3.11
Destroços de helicóptero Cougar do Exército da Suíça são vistos na neve nesta quinta-feira (31). Ele acidentou-se na véspera, próximo à cidade de Maderanertal. Dois pilotos e um tripulante ficaram feridos. Fonte: G1

VSB-30 é lançado com sucesso na Suécia

By on 31.3.11

O Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE) iniciou a Operação Texus 49, que consistirá em 3 lançamentos.

O lançamento do VSB-30 V15 - Texus 49 ocorreu com sucesso, nesta terça-feira (29) às 6h00, no horário local, a partir do Centro de Lançamento de Esrange, em Kiruna - Suécia.

O foguete atingiu uma órbita superior a 260 quilômetro, fornecendo 378 segundos de ambiente de microgravidade para os experimentos científicos a bordo.



Preparativos

Os veículos VSB-30 V14, V15 e V16 foram transportados para a Suécia, onde ocorrerá o lançamento das cargas úteis Texus 49, Texus 48 e Maser 12, respectivamente.

A Operação teve início no dia 18 de março, às 16h30, conforme planejado. O transporte do VSB-30 foi realizado por um C-130 da Força Aérea Brasileira, que pousou em Kiruna. O desembarque demorou cerca de duas horas a uma temperatura de 10 graus.

No sábado (19) os motores foram desembalados e preparados para iniciar a integração.

Na operação, foram realizados: a integração das empenas do primeiro e segundos estágios; a integração dos ignitores do primeiro e segundos estágios; a integração dos DMS (dispositivo mecânico de segurança) do primeiro e segundo estágios; ensaio de ativação das pontes pirotécnicos, com iniciadores de b/nitrato, do módulo dianteiro do segundo estágio e o ensaio de ativação das pontes pirotécnicas dos iniciadores do PIR.

VSB-30 V15

Veja os principais dados do voo desta terça-feira:

  • Massa de carga útil: 379 kg;
  • Apogeu: 268,2 km (nominal = 264,0 km);
  • Tempo de microgravidade = 378 segundos;
  • Alcance = 92 km;
  • Ponto de impacto < 1 sigma;
  • Aceleração máxima do 1E = 7,9 g;
  • Aceleração máxima do 2E = 12,6 g.

O foguete alcançou a altitude de 268 km e a carga útil que continha quatro experimentos científicos, ficou por 6 minutos em ambiente de microgravidade.

A carga útil foi recuperada a 90 km do local do lançamento, por um helicóptero, e já está de volta na base para análises.

Neste lançamento, a ESA (Agência Espacial Europeia) comemora 50 voos da carga útil Texus.

Fonte: Inovação tecnológica

Irã lidera crescimento em pesquisa científica

By on 31.3.11

Qual país teve um "boom" de produção científica entre 1996 e 2008, saltando de 736 artigos publicados para 13.238? A resposta - o Irã - pode surpreender muitas pessoas, especialmente nos países ocidentais acostumados a liderar a maioria das pesquisas científicas. O Irã, no entanto, tem a maior taxa de crescimento na publicação de artigos científicos no mundo.

E se as relações políticas entre o Irã e os EUA estão tensas, parece que os cientistas dos dois países estão se relacionando sem problemas: o número de trabalhos colaborativos entre eles aumentou quase cinco vezes (de 388 para 1831) no período estudado.

A rápida ascensão do Oriente Médio, da China, da Índia e do Brasil no campo da ciência se destaca em um relatório publicado nesta semana pela Royal Society do Reino Unido, comparando a publicação global e as taxas de citações entre 1993 e 2003 com as taxas de citação entre 2004 e 2008.

Como o Irã, outros países menores também estão aumentando a sua atividade de pesquisa científica. A Turquia, por exemplo, quadruplicou a sua produção entre 1996 e 2008, após aumentar em seis vezes o financiamento público para a área das pesquisas. Tendências semelhantes surgiram na Tunísia, Catar e Cingapura.

No campo mais amplo ca ciência, os líderes estabelecidos, como Estados Unidos, Europa e Japão, continuam a dominar. Mas sua ascensão está sendo corroída pela rápida industrialização dos países em desenvolvimento. Assim, enquanto a proporção de artigos com autores dos EUA passou de 26% para 21%, a China passou de sexto para segundo lugar com 10,2% de autoria dos trabalhos, acima dos 4,4% em 1996. Brasil e Índia estão subindo rapidamente também.

"As principais nações não estão ficando mais fracas", explicou Chris Llewellyn Smith, presidente do grupo que produziu o estudo. "Pelo contrário, eu diria que nós estamos vendo um crescimento em outras nações que fortalece todo o conjunto", afirmou.

Marcando o crescimento da ciência como uma tendência para resolver os problemas globais, Llewellyn Smith explica que trabalhos colaborativos subiram de 25% para mais de 35% de todos os artigos publicados. "Para resolver um problema global, você precisa de dados de todo o mundo, e isso ajuda a unificar a voz científica geograficamente", diz ele.

Operation Odyssey Dawn (Unified Protector): Exercito da Líbia retoma Bin Jawad, Brega, Ras Lanuf.

By on 31.3.11
Bin Jawad, Brega, Ras Lanuf. Em pouco mais de 24 horas, os rebeldes viram importantes cidades conquistadas nos últimos dias serem retomadas pelas tropas do ditador líbio, Muamar Kadafi. Nem mesmo os bombardeios aéreos da coalizão internacional liderada pela Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) têm sido capazes de neutralizar a artilharia e interromper a contra-ofensiva das forças do regime. Enquanto os aliados não se entendem sobre um possível fornecimento de armas à insurgência, uma informação divulgada ontem pela agência Reuters pode provocar um debate ético e jurídico sobre o envolvimento do governo norte-americano na guerra. O presidente Barack Obama teria assinado, há duas ou três semanas, uma ´decisão presidencial` determinando o apoio secreto à oposição, na tentativa de derrubar o coronel. A medida é a principal diretriz usada para autorizar operações clandestinas realizadas pela Agência Central de Inteligência (CIA). Tanto a agência quanto a Casa Branca recusaram-se a comentar oassunto.

Rebeldes fogem de Ras Lanuf por estrada que leva a Uqayla

Caso a notícia se confirme, Obama poderá enfrentar a indisposição do Congresso, de maioria republicana, que não teria sido consultado a respeito. Coincidência ou não, o democrata concedeu uma entrevista à NBC, na terça-feira, na qual garantiu que Kadafi ´não detém o controle da maior parte da Líbia neste momento`. E prometeu impor uma ´firme pressão, não apenas militar, mas também por outros meios` para forçar a renúncia do ditador. Ontem, Kadafi sofreu uma baixa política: o chanceler líbio, Moussa Koussa, desembarcou em Londres e anunciou ter renunciado. As tropas leais ao ditador retomaram ontem o terminal petroleiro de Ras Lanuf e a cidade de Brega, numa rápida progressão rumo ao leste da Líbia - onde se concentram os insurgentes.

Fonte: Diário de Pernambuco

Operation Odyssey Dawn (Unified Protector): Obama autoriza ajuda secreta para rebeldes na Líbia

By on 31.3.11

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, assinou uma ordem que autoriza o apoio secreto do governo americano às forças rebeldes que tentam derrubar o líder líbio, Muamar Kadafi, afirmaram à Reuters funcionários do governo nesta quarta-feira.

Obama assinou a ordem, conhecida como "decisão" presidencial, nas últimas duas ou três semanas, segundo quatro fontes do governo familiarizadas com o assunto. Tais decisões são a principal forma de diretriz presidencial usada para autorizar operações secretas da Agência Central de Inteligência (CIA). A agência e a Casa Branca se recusaram a comentar de imediato.

http://2.bp.blogspot.com/-IY81WGc1AvI/TYgJuIIjBLI/AAAAAAAAFPg/MWINfEX6Wr4/s400/carlos-latuff-smells-like-foreign-intervention-libya-march-9-2011.gif

As informações sobre a autorização de Obama surgiram num momento em que ele e outras autoridades dos EUA e de países aliados falam abertamente sobre a possibilidade de fornecer armamento para os opositores de Kadafi, que combatem forças mais bem equipadas.

Os EUA, outros membros da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) e países árabes integram uma coalizão que está conduzindo ataques aéreos contra as forças de segurança do governo líbio, cumprindo um mandado da Organização das Nações Unidas (ONU) para proteger os civis que se opõem a Kadafi.

Em entrevistas a redes americanas de TV, na terça-feira, Obama declarou que o objetivo era fazer com que, no fim, "Kadafi renunciasse" ao poder. Ele falou em impor "firme pressão, não apenas militar, mas também por esses outros meios" para forçar a saída de Kadafi.

Obama afirmou que Kadafi "não tem o controle da maior parte da Líbia nesse momento" e que os EUA não descartam a possibilidade de prover equipamento militar aos rebeldes. "Não estou, não estou descartando."

Os altos funcionários dos EUA que monitoram a situação da Líbia dizem que no momento nem Kadafi nem os rebeldes - que pediram armas pesadas ao Ocidente - parecem capazes de obter avanços decisivos.

Embora os ataques aéreos dos EUA e aliados tenham causado graves danos às forças militares de Kadafi e afetado sua cadeia de comando, segundo autoridades, os rebeldes permanecem desorganizados e sem condições de tirar amplo proveito do apoio militar ocidental.


Operações específicas

Pessoas a par dos procedimentos do setor de inteligência dos EUA dizem que as decisões presidenciais relativas a ações encobertas costumam ser costuradas de modo a dar margem a uma autorização ampla para um grande espectro de ações do governo em apoio a um objetivo secreto particular.

Para que operações específicas sejam realizadas sob o amparo dessa autorização abrangente - por exemplo, a entrega de dinheiro ou armas às forças anti-Kadafi -, a Casa Branca também teria de dar uma "permissão" adicional para o prosseguimento dessas atividades.

Em 2009, Obama deu um aval semelhante à expansão das ações secretas de contraterrorismo realizadas pela CIA no Iêmen. A Casa Branca não costuma confirmar se tais ordens foram dadas.

Deserção do regime

A informação sobre o apoio secreto dos EUA em campo aos rebeldes líbios surge no mesmo dia em que o ministro de Relações Exteriores líbio, Moussa Kusa, anunciou no Reino Unido que não faz mais parte do governo de Kadafi.

"Podemos confirmar que Mussa Kussa chegou ao aeroporto de Farnborough em 30 de março procedente de Túnis. Viajou por conta própria e nos disse que renunciou a suas funções", disse o Ministério de Relações Exteriores britânico.

Chefe dos serviços de inteligência entre 1994 e 2009, Kussa, 59 anos, era uma importante figura do Comitê Revolucionário, espinha dorsal do regime líbio, e homem de confiança de Kadafi. Ele ficou conhecido internacionalmente por seu papel na indenização das famílias das vítimas dos atentados de Lockerbie (1988, 270 mortos) e do DC-10 da UTA (1989, 170 mortos), o que permitiu a retomada das relações de Trípoli com o Ocidente.

Fonte: IG

Oposição pede que forças da Arábia Saudita deixem o Bahrein

By on 31.3.11
A oposição xiita do Bahrein exigiu nesta quarta-feira, 30, que as forças militares lideradas pela Arábia Saudita, que têm ajudado a conter os protestos, deixem o país imediatamente. A demanda ressalta o elemento sectário do movimento contrário ao governo no pequeno reino insular, onde a maioria xiita tem protestado por mais direitos e liberdades contra a dinastia sunita que governa o Bahrein há dois séculos.

Veja também:
Infográfico:
A revolta que abalou o Oriente Médio
Galeria de fotos: Veja imagens dos protestos na região
Chacra: Assad e as eternas promessas de reformas

Cerca de 1.500 soldados da Arábia Saudita, dos Emirados Árabes Unidos e outros países sunitas do Golfo Pérsico entraram no Bahrein duas semanas atrás a convite do rei bareinita. O rei também estabeleceu estado de emergência no país e reprimiu os manifestantes, matando pelo menos 20 pessoas.

Um importante líder opositor xiita, Ali Salman, disse que as tropas estrangeiras devem sair do país porque a oposição rejeita "qualquer intervenção militar para qualquer partido" no Bahrein. Salman também disse que o Irã não deveria interferir no país.

"Nós não queremos que o Bahrein se transforme numa zona de conflito entre a Arábia Saudita e o Irã", que condenou o envio de tropas, disse Salman durante uma coletiva de imprensa na capital, Manama. "É por isso que não concordamos com a intervenção saudita. Pedimos a imediata saída das tropas e rejeitamos a interferência iraniana".

As tropas do Conselho de Cooperação do Golfo (CCG) entraram no Bahrein pela passagem que liga o país à Arábia Saudita, com a desculpa de ajudar a manter a ordem no reino insular. Xiitas em todo o Oriente Médio protestaram contra a intervenção. Autoridades iranianas afirmaram que as tropas estavam no Bahrein para reforçar a opressão da monarquia sunita sobre a maioria xiita. O destino do reino é alvo de preocupação dos Estados Unidos, pois o país abriga uma base naval norte-americana.

Hoje, o governo do Bahrein deteve o mais importante blogueiro do país. Mahmoud al-Youssef tem criticado há anos o governo por conter a liberdade de expressão, disse Amira al-Hussaini, editora para Oriente Médio e Norte da África da rede internacional de blogueiros Global Voices Online. "Ele é o padrinho da comunidade blogueira do Bahrein", disse al-Hussaini a respeito de al-Youssef, de 50 anos, que escreve em inglês em seu blog. "Ele sempre pede tolerância e que os bareinitas se comportem como uma família".

O irmão de Al-Youssef, Jamal, disse que ele foi detido em sua casa em Duraz, local de forte presença oposicionista no noroeste da capital, Manama, às 3h da madrugada. "Eles tocaram a campainha e Mahmoud abriu a porta", disse o irmão do blogueiro. "Eles disseram que tinham um mandado de prisão e o levaram". Centenas de ativistas e líderes opositores foram detidos desde que o estado de emergência foi decretado, duas semanas atrás.

Fonte: Associated Press - Via Estadão.

Khamis Kadhafi visitou Academia da USAF em fevereiro

By on 31.3.11
Khamis Kadhafi, um dos filhos do líder líbio, Muammar Kadhafi, visitou a Academia da Força Aérea americana em fevereiro passado, dez dias antes do início da revolta na Líbia, informou nesta quarta-feira a instituição militar.

O filho de Kadhafi, 27 anos, que lidera a temida 32ª Brigada, a mais bem equipada unidade do Exército líbio, visitou a Academia de Colorado Springs no dia 7 de fevereiro passado, revelou à AFP John Van Winkle, porta-voz da escola.

A visita de Khamis Kadhafi fez parte de um curso oferecido pela empresa ECOM do qual o militar líbio participou, segundo Van Winkle.

"Fez a mesma visita padrão da qual participam os dignitários durante todo o ano, sejam americanos ou estrangeiros. Não teve nenhum segredo" e sua identidade era conhecida.

"Se o departamento de Estado autoriza a pessoa a vir aos Estados Unidos, é nosso dever proporcionar ajuda desde que isto não comprometa nossa segurança".

Ao chegar aos Estados Unidos, Khamis Kadhafi foi recebido por um funcionário do departamento de Estado por razões protocolares, admitiu Mark Toner, porta-voz da Casa Branca.

Fonte: AFP

quarta-feira, março 30, 2011

Operation Odyssey Dawn (Unified Protector): Saab Gripen sueco deverá finalmente entrar em combate na Libia

By on 30.3.11

A conferência sobre o “pós-Kadhafi”, que reuniu cerca de 40 países e organizações internacionais, em Londres, a 30 de março, saldou-se pela evocação da possibilidade de armar os insurrectos líbios e o Governo sueco mostrou-se “pronto a partir para a Líbia”, como notícia o Svenska Dagbladet, na primeira página. Estocolmo deverá participar na operação “Odisseia ao Amanhecer” com oito aviões de combate SAAB Gripen, escreve o diário, “em nome da entreajuda entre membros da UE”. A decisão sueca segue-se à declaração de solidariedade para com a NATO, assinada pela Suécia, que não faz parte da organização. É a primeira vez, desde a crise do Congo, em 1961, que o país que recentemente renunciou à sua neutralidade participa com aviões de combate numa missão da ONU, acrescenta o Svenska Dagbladet.

Fonte: PressEurop


http://3.bp.blogspot.com/_AxCuBauiBF0/SsXn1ZLa1UI/AAAAAAAADEU/ocxgM_HwcEc/s400/FAB-GRIPEN+NG+-+BR.jpg
Até o momento o JAS Gripen jamais foi testado em combate - A Libia será então teatro de operações dos 3 caças finalistas do programa FX-2 da Força Aérea Brasileira. Para bombardear a Líbia, sobretudo nas primeiras levas do ataque iniciado na semana passada, a França enviou esquadrões de Rafale, fabricados pela Dassault, não muito diferentes do modelo em análise pelo governo brasileiro. A Força Aérea dos Estados Unidos, por sua vez, vem usando os F-18, fabricados pela Boeing. O Mirage 2000 (atualmente em uso pela FAB) e o F-16, ambos oferecidos no FX-1 também participam da 'campanha' no teatro de operações da Libia.

Israel quer construir ilha para se "livrar" de Gaza

By on 30.3.11
Israel está considerando a construção de uma ilha artificial com portos marítimos e aéreos próximo à Faixa de Gaza como solução de longo prazo para o envio de suprimentos ao enclave palestino, controlado pelo Hamas, informou o ministro de Transportes.

Yisrael Katz disse nesta quarta-feira à emissora de rádio Army Radio querer uma força internacional para controlar a ilha por "ao menos 100 anos". A carga seria enviada a Gaza através de uma ponte de 4,5 quilômetros de comprimento, monitorada por um posto de controle para impedir o tráfico de armas.

"O Exército israelense continuaria o bloqueio naval, mas de forma mais localizada", afirmou.

Katz disse que havia apresentado o projeto ao primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, que por sua vez pediu a elaboração de um plano. O projeto já "está sendo analisado há muitos meses" por especialistas, afirmou Katz.


Artificial island homes to Japanese airport

Um porta-voz da Autoridade Palestina, sediada na Cisjordânia, descreveu a ideia como sendo "pura fantasia" e uma tentativa de Israel para "desviar a atenção dos verdadeiros problemas em Gaza decorrentes do cerco israelense".

O porta-voz do Hamas acusou a iniciativa de ser "um esforço sionista para... internacionalizar" o bloqueio.

Israel e seu vizinho Egito fortaleceram o bloqueio de Gaza depois que integrantes do Hamas, contrários à paz com o Estado judeu, tomaram o controle do território em 2007, antes mantido por forças leais ao presidente palestino Mahmoud Abbas, que tem o apoio do Ocidente.

Fonte: Reuters - UOL

Atentado contra Reagan faz 30 anos; reveja em vídeo

By on 30.3.11

Há 30 anos, no dia 30 de março de 1981, o então presidente dos Estados Unidos, Ronald Reagan, sofreu um atentado a tiros ao sair do hotel Hilton, em Washington.

Veja vídeo.

Ele e outras três pessoas foram baleadas por John Hinckley Jr.

Além do presidente Reagan, outras três pessoas foram baleadas

A rede de TV americana ABC News filmou o episódio.

Reagan era presidente há apenas 69 dias quando sofreu o atentado.

Ele sofreu uma perfuração de pulmão.

Além do presidente, o assessor de imprensa da Casa Branca, James Brady, um policial e um agente do serviço secreto ficaram feridos.

Fonte: Folha


Operation Odyssey Dawn (Unified Protector): Exercito da Libia recupera o controle de Ras Lanuf

By on 30.3.11
As tropas do ditador líbio Muamar Kadhafi reconquistaram nesta quarta-feira o terminal petroleiro de Ras Lanuf, obrigando os insurgentes a abandonar suas posições e recuar para o leste.

As forças insurgentes tentavam retornar para a cidade de Brega.

O terminal de Ras Lanuf, 370 km ao oeste de Benghazi, reduto dos rebeldes, foi tomado pelos insurgentes em 27 de março.

Desde o início dos bombardeios da coalizão internacional, em 19 de março, as forças rebeldes conquistaram várias cidades, entre elas Brega e Ajdabiya, mas nos últimos dois dias as tropas de Kadhafi conseguiram conter a ofensiva insurgente.

Fonte: UOL

Operation Odyssey Dawn (Unified Protector): Dados sobre rebeldes da Líbia indicam sinais da Al Qaeda

By on 30.3.11
Informações da inteligência sobre as forças rebeldes que combatem o líder líbio Muammar Gaddafi indicam sinais da presença da Al Qaeda e do Hezbollah, mas ainda não há um quadro detalhado sobre a oposição emergente, disse o principal comandante de operações da Otan na terça-feira.

"Estamos examinando com muita atenção o conteúdo, a composição, as personalidades, quem são os líderes dessas forças de oposição", disse o almirante James Stavridis, comandante supremo da Otan para a Europa e também comandante do Comando Europeu norte-americano, durante um depoimento ao Senado dos EUA.

Na terça-feira, as tropas de Gaddafi reverteram a investida rumo a oeste das forças rebeldes, enquanto as potências mundiais se reuniram em Londres, mais de uma semana depois do lançamento da campanha militar destinada a proteger civis líbios.

Embora Stavridis tenha afirmado que a liderança da oposição parece ser composta por "homens e mulheres responsáveis" lutando contra Gaddafi, ele disse que "observamos na inteligência sinais possíveis da Al Qaeda e Hezbollah. Temos visto coisas diferentes."

"Mas neste momento não tenho detalhes suficientes para dizer que há uma presença significativa da Al Qaeda ou qualquer outra presença terrorista", afirmou ele.

Osama Bin Laden

O Pentágono diz que não está se comunicando oficialmente com os rebeldes líbios.

Os comentários de Stavridis foram feitos um dia depois de o presidente Barack Obama defender sua posição pela ação na Líbia num pronunciamento na TV aos norte-americanos, que estão preocupados com mais uma guerra, enquanto as tropas dos EUA já estão no Afeganistão e no Iraque.

Embora Obama tenha dito que Gaddafi deve deixar o poder, ele salientou que a missão militar aprovada pela Organização das Nações Unidas (ONU) limita-se a proteger os civis e a garantir uma zona de exclusão aérea sobre a Líbia.

Fonte: O Globo

Reaparece o ameaçador asteróide Apofis

By on 30.3.11

No círculo, o asteróide Apofis em uma composição de cinco imagens captadas em 31 de janeiro, com o telescópio de 2,2 metros da Universidade do Havaí, em Mauna Kea. O rastro vertical fraco corresponde a um satélite.


Primeiras imagens em três anos do objeto celeste que estará muito próximo da Terra em 2029.

As boas condições óticas no cume do vulcão Mauna Kea, no Havaí produziram as primeiras imagens em três anos do asteróide Apofis, quando ele saía de trás do Sol em sua órbita elíptica em torno da estrela.


Este pequeno objeto celeste de 270 metros de diâmetro, tornou-se famoso em 2004, quando estimava-se que havia uma probabilidade de 1 em 37, que caísse na Terra em 2029.



Cálculos subsequentes praticamente anularam essa possibilidade, mas deixaram a porta aberta a um choque posterior. Por isso os astrônomos tem interesse em continuar acompanhando o asteróide para refinar os cálculos.

A equipe de David Tholen da Universidade do Havaí, obteve as imagens em 31 de janeiro, quando o asteróide estava a apenas 44 graus longe do sol e era um pequeno ponto.



Serão necessárias novas e regulares observações para conseguir refinar a órbita. Além disso, em 2013 o Apofis estará muito perto da Terra, assim sua trajetória poderá ser observada com grande precisão através do radar.



A razão do risco de colisão é que o Apofis se aproximará muito da Terra em 13 de abril de 2029, quando se acredita que passará a menos de 36.000 quilômetros de altura, onde estão muitos satélites de comunicações. Então será visivel no céu noturno como um pequeno ponto em rápido movimento.


Se espera que este encontro tão próximo da influência gravitacional da Terra possa mudar a órbita do asteróide, o que poderia resultar em uma colisão com a Terra em 2036 ou 2068.



Para que isso aconteça o asteróide teria que passar em 2029 por uma região específica do espaço, pouco maior que o asteróide, o que em si é pouco provável.

"A probabilidade de que o asteróide passe pela região é pequena", disse Don Yeomans, diretor do Escritório de Objetos Próximos da Terra da NASA. Este especialista diz que, em todo caso, a Nasa enviará uma missão depois de 2029 para desviar o asteróide numa missão semelhante à do Deep Impact, que bombardeou o cometa Tempel 1 em 2005.

No entanto, outros especialistas acreditam em uma missão preventiva. A medida foi anunciada em fevereiro pela agência espacial russa e o astronauta espanhol Pedro Duque foi chamado recentemente para uma missão de teste, que teria um ótimo custo-benefício.

Novas estimativas de astrônomos russos insistem na possível colisão que poderia ocorrer em 13 de abril de 2036, de acordo com Leonid Solokov da Universidade de São Petersburgo.

A probabilidade, agora definida como 1 em 250.000, é muito baixa, reconhece Solokov, e é mais provável que se parta em pedaços ao passar próximo da Terra em 2029, todos os cálculos teriam que ser refeitos para detectar as possiveis colisões posteriores com alguns dos pedaços.

Tradução: Carlos de Castro
Fonte: El País - Via Arquivos do Insólito

Ex-general Thein Sein toma posse como presidente de Mianmar

By on 30.3.11
O general reformado Thein Sein jurou nesta quarta-feira seu cargo de presidente de Mianmar, no que representa a transição formal do regime militar a uma democracia parlamentar, informou a imprensa local.

Thein Sein, ex-primeiro-ministro, fez seu juramento diante do Parlamento, dominado pelos militares que adotaram o status de civis pouco antes das eleições realizadas em 7 de novembro sob o boicote da oposição liderada pela Nobel da Paz Aung San Suu Kyi.



O novo presidente, braço direito do homem forte do regime, o general Than Shwe, assumirá a chefia do Executivo e do Estado de Mianmar, governado por uma Junta Militar desde o levante de 1962.

Fonte: UOL

Operation Odyssey Dawn (Unified Protector): Obama não descarta entregar armas à oposição líbia

By on 30.3.11
O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse nesta terça-feira que não exclui a possibilidade de fornecer armas aos rebeldes líbios, em entrevista concedida à rede de televisão NBC.

Ouvido sobre a possibilidade de Washington fornecer armas às forças da oposição, Obama respondeu: "não excluo isto, mas também não digo que faremos".

"Estamos avaliando diariamente o que as forças de Kadhafi fazem. As operações militares da coalizão começaram há nove dias" e talvez nem seja preciso armar os rebeldes líbios, mas "nada excluímos no momento".

Na mesma entrevista, Obama estimou que o líder líbio, Muammar Kadhafi, deixará o poder devido à intensa pressão internacional.

"Nossa expectativa é que, como seguimos exercendo uma forte pressão, não apenas militar, mas também por outros meios, Kadhafi deixe finalmente o poder".

Obama disse ainda que a operação na Líbia é um exemplo de como o mundo "deve trabalhar", com Estados Unidos no centro de uma ampla coalizão internacional.

O presidente americano discursou sobre sua decisão de lançar um ataque aéreo contra as forças de Kadhafi para proteger os civis e estabelecer uma zona de exclusão aérea na Líbia, ao inaugurar a nova missão dos Estados Unidos diante da ONU em Nova York.

"Assim que a comunidade internacional deve trabalhar - mais nações com os Estados Unidos ali, no centro, mas não sozinho, todos redobrando esforços, assumindo suas responsabilizadas", disse Obama.

"Isso é o que significa ser (as) Nações Unidas", afirmou o presidente, ao inaugurar as novas instalações.

"Acreditamos que o mundo fica mais seguro e os interesses de Estados Unidos mais bem defendidos quando atuamos coletivamente", completou Obama.

Fonte: UOL Noticias

Operation Odyssey Dawn: Aliados mantêm ação na Líbia; Otan rejeita armar rebeldes

By on 30.3.11
Ao fim da conferência de quase 40 países em Londres para debater as "direções políticas" que a Líbia deve seguir, o secretário-geral da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte), Anders Fogh Rasmussen, comentou uma das principais questões pendentes após a reunião e disse que a aliança não pretende armar os rebeldes.

As posições divulgadas pelo chanceler britânico, William Hague, e a secretária de Estado americana, Hillary Clinton, logo após o término do encontro deram a entender que o tema não havia sido debatido.

Relatos posteriores, no entanto, indicam que o fornecimento de armamentos aos rebeldes, assim como medidas adicionais para forçar a saída do ditador Muammar Gaddafi e a hesitação dos países árabes em contribuir com a coalizão podem ter sido centrais nas discussões a portas fechadas.

Outra questão pendente seria a intenção manifestada ontem (28) pelo presidente dos EUA, Barack Obama, de repassar aos rebeldes os cerca de US$ 30 bilhões pertencentes a Gaddafi que estão congelados no país.

Entrevistado pela emissora britânica Sky News sobre a possibilidade de fornecer armamentos aos opositores líbios que combatem as forças leais ao ditador Maummar Gaddafi, Rasmussen respondeu: "A resolução do Conselho de Segurança é clara: ela exige a imposição de um embargo sobre as armas. Nós estamos lá, então, para proteger a população e não para armá-la".

Rasmussen foi entrevistado ao término de uma reunião com a presença de quase 40 países e organizações, em Londres, que estabeleceu oficialmente um Grupo de Contato encarregado de conduzir politicamente as ações na Líbia.Link

Embora o chanceler britânico tenha indicado em coletiva que o fornecimento de armas aos rebeldes não foi discutido na conferência, o premiê do Qatar, Xeque Hamad bin Jassim bin Jabr al Thani, sugeriu que outras ações podem ser consideradas caso os aliados cheguem à conclusão de que os ataques aéreos não são suficientes para conter os avanços de Gaddafi.

A França também se declarou pronta a discutir uma potencial ajuda militar aos rebeldes.

"Não é o que prevê a resolução 1973, nem a resolução 1970. Por enquanto, a França se limita à estrita aplicação destas resoluções. Isso dito, estamos prontos a discutir sobre o assunto com nossos parceiros", declarou o chanceler francês, Alain Juppé.

Fonte: Folha.com

Brasil se despede de Alencar com funeral de Estado e 7 dias de luto

By on 30.3.11


O vice-presidente do Brasil, Michel Temer, anunciou sete dias de luto nacional pela morte de seu antecessor José Alencar, que faleceu nesta terça-feira vítima de um agressivo câncer e será velado na quarta-feira com funeral de Estado.

"Trata-se de uma perda irreparável para o país", declarou aos jornalistas Temer, que devido à viagem da presidente Dilma Rousseff a Portugal, exerce o cargo de presidente interino.

Temer confirmou que Dilma, que tinha programado diversas atividades em Portugal, decidiu antecipar seu retorno ao Brasil para participar do funeral de Alencar, que será realizado na quarta-feira no Palácio do Planalto.

Alencar foi vice-presidente durante os dois mandatos do agora ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (2003-2011) e faleceu nesta terça-feira aos 79 anos em São Paulo, em consequência de um câncer abdominal que sofria há mais de uma década.

Temer explicou que o corpo de José Alencar chegará a Brasília na manhã de quarta-feira vindo de São Paulo e será levado ao palácio presidencial para o funeral, ao qual espera-se a presença de milhares de pessoas.

Dilma recebeu a notícia com Lula na cidade portuguesa de Coimbra, cuja universidade entregou nesta terça-feira ao ex-presidente uma homenagem por sua luta contra a pobreza.

A chefe de Estado decidiu cancelar os encontros que teria nesta quarta-feira com o presidente português, Aníbal Cavaco Silva, e com o primeiro-ministro, José Sócrates, a fim de retornar ao Brasil para liderar o funeral de Alencar.

Segundo fontes oficiais em Brasília, Lula também cancelou parte de sua agenda e deverá chegar à capital brasileira na tarde de quarta-feira, para também se despedir de quem qualificou de "irmão" e "companheiro".

A morte de Alencar paralisou o meio político brasileiro, que realizou diversas homenagens e discursos em sua memória.

O presidente do Senado, José Sarney, de 81 anos, se viu na obrigação de comunicar o plenário da notícia sobre a morte de Alencar, ocorrida pouco depois do início da sessão parlamentar.

"Queria, com emoção e tristeza, comunicar à Casa que acaba de falecer o ex-vice-presidente, um grande brasileiro, que prestou grandes serviços à nossa Pátria", declarou Sarney visivelmente emocionado.

Assim como ocorreu no Senado, a Câmara dos Deputados também interrompeu sua sessão ordinária para dar lugar a uma grande quantidade de oradores que expressaram seus sentimentos pela morte de Alencar.

Fonte: UOL Noticias

terça-feira, março 29, 2011

Ex-vice-presidente José Alencar morre aos 79 anos

By on 29.3.11
O ex-vice-presidente José Alencar morreu nesta terça-feira, aos 79 anos, de falência múltipla dos órgãos, após uma luta incansável contra o câncer.

O ex-vice lutou por mais de 14 anos contra o câncer que o levou 17 vezes a uma sala de cirurgia e o obrigou a se submeter a sessões de quimioterapia.

Alencar, que morreu às 14h41 desta terça, foi internado na unidade de terapia intensiva (UTI) do Hospital Sírio-Libanês na tarde de segunda com fortes dores abdominais. Segundo os médicos, foi detectada então uma obstrução no intestino e uma inflamação do peritônio, a membrana que recobre as paredes do abdome e a superfície dos órgãos digestivos.

O corpo de Alencar será velado no Palácio do Planalto na quarta-feira. A presidente Dilma Rousseff, que está em Portugal, decidiu antecipar sua volta para participar da cerimônia.

"Nós estamos num momento de muito sentimento. Considerávamos que o Zé Alencar era uma das pessoas que foi uma grande honra ter convivido com ele, é daquela pessoa que vai deixar indelével uma marca na vida de cada um de nós", afirmou Dilma, que está em Portugal com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, homenageado com o título de doutor honoris causa da Universidade de Coimbra.

Mineiro, Alencar ocupou a vice-presidência da República de 2003 a 2010, durante os oito anos do governo do ex-presidente Lula.

"Nós não temos muito o que falar, porque o momento é de muita dor e de muito sofrimento. Ou seja, vocês que acompanharam o mandato nosso da Dilma como ministra, do Zé Alencar como vice, vocês sabem que era uma relação de irmãos e de companheiros", afirmou Lula, sem esconder as lágrimas.

"GRANDE COMPANHEIRO"

Elogiado por ministros e políticos, o ex-vice foi lembrado por muitos por sua humildade, garra e pelo seu papel nos dois mandatos de Lula.

"Ele engrandeceu o governo, ajudou o governo nas suas realizações e foi um grande companheiro de todas as horas, que vai ser lembrado por todos nós", afirmou o ministro da Fazenda, Guido Mantega, em nota.

Com o estado de saúde debilitado, Alencar não pôde viajar a Brasília para participar da posse da presidente Dilma Rousseff no dia 1o de janeiro. Ele insistiu até a última hora para ir de São Paulo para Brasília, mas não foi possível.

Emocionado ao ser informado sobre a morte por jornalistas durante uma entrevista, o ministro Gilberto Carvalho, da Secretaria-Geral da Presidência, lembrou da longa batalha contra a doença.

"Ele deu tantos bailes nos médicos que a gente achava que ele poderia ainda aguentar mais um pouco no meio de nós. Foi o equilíbrio dele, a amizade dele que nos confortou nas horas mais difíceis", afirmou o ministro, que no governo Lula foi chefe de gabinete da Presidência.

O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), afirmou que Alencar foi "um grande brasileiro e um grande político. Tinha coragem de discordar e de ser um homem público. A maneira como ele enfrentou a doença, e soube sofrer, é uma lembrança que o povo brasileiro jamais esquecerá".

O mineiro Aécio Neves (PSDB-MG) afirmou que o ex-vice foi "um exemplo de nós todos, que honra Minas Gerais e que honra essa nossa atividade tão depreciada, tão contestada, mas que tem também a exercê-la homens do quilate moral e da dimensão política de José Alencar".

O ex-presidente da República e senador Itamar Franco (PPS-MG) disse que Alencar foi um "homem voltado aos interesses nacionais, um grande mineiro, um grande brasileiro... Acho que todos nós perdemos um homem guerreiro. Ele mostrou sua garra não só na doença, mas em toda a sua vida pública".

Para o deputado ACM Neto (DEM-BA), Alencar foi "um dos homens públicos mais respeitados do país e exemplo de serviços públicos prestados ao país, sobretudo na luta pela vida. A nova geração de políticos hoje se sente emocionada".

A última aparição pública de Alencar foi em 25 de janeiro, quando recebeu uma condecoração no aniversário da cidade de São Paulo.

O governador de Minas Gerais, Antonio Anastasia (PSDB), informou que haverá velório na quinta-feira em Belo Horizonte, no Palácio da Liberdade, sede do governo mineiro.

Na ocasião, com dificuldade de locomoção e sentado em uma cadeira de rodas, o ex-vice-presidente chegou a pedir desculpas por não poder discursar em pé e agradeceu o apoio que recebeu para combater a doença.

"Se eu morrer agora, está bom demais", disse na ocasião, lembrando das mensagens de apoio que vinha recebendo.

Fundador da empresa têxtil Coteminas, Alencar era casado com Mariza Campos Gomes da Silva e deixa três filhos.

Fonte: O Globo

Operation Odyssey Dawn: França está disposta a discutir ajuda militar a aliança rebelde

By on 29.3.11

A França está disposta a discutir com seus aliados uma ajuda militar aos rebeldes na Líbia, declarou nesta terça-feira o ministro de Relações Exteriores francês, Alain Juppé, afirmando que isso não estava previsto pelas recentes resoluções da ONU sobre o país africano.

"Não é o que prevê a resolução 1973, nem a resolução 1970. No momento, a França se atém à estrita aplicação destas resoluções. Dito isso, estamos dispostos a conversar com nossos parceiros", declarou o ministro durante coletiva de imprensa após a conferência internacional sobre Líbia de Londres.

A embaixadora americana diante da ONU, Susan Rice, indicou anteriormente à emissora detelevisão norte-americana ABC que os Estados Unidos "não excluem" a possibilidade de proporcionar uma assistência militar aos insurgentes líbios para ajudá-los a derrubar o líder líbio Muamar Kadhafi.

Segundo fontes americanas, a resolução 1973 da ONU, que "autoriza todas as medidas necessárias" para proteger as populações civis, poderá permitir entregas de armas ou formação militar.

Juppé não informou a natureza da ajuda sobre o que a França pretende discutir.

Fonte: JB

Operation Odyssey Dawn - Day 11: Kadhafi pede fim dos ataques; Exército bloqueia avanço da Aliança Rebelde

By on 29.3.11

O ditador líbio Muamar Kadhafi pediu nesta terça-feira à coalizão internacional o fim dos ataques contra suas forças, que bloqueiam o avanço dos insurgentes, antes de uma reunião do "grupo de contato" sobre a Líbia em Londres.

Quase 40 países e organismos regionais se reunirão nesta terça-feira na capital britânica para o primeiro encontro do "grupo de contato" sobre a Líbia, responsável pela "administração política" da operação internacional, cujo comando militar passou à Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), e que pretende preparar a era "pós-Kadhafi".

"Parem sua ofensiva bárbara e injusta contra a Líbia", afirmou o dirigente líbio, em uma mensagem divulgada pela agência oficial Jana.

"Deixem a Líbia para os líbios, vocês estão executando uma operação de extermínio contra um povo seguro e destruindo um país em desenvolvimento", acrescentou o coronel Kadhafi, que enfrenta uma rebelião armada desde fevereiro.

"Vocês não percebem, na Europa e Estados Unidos, que esta operação militar bárbara e maléfica se parece com as campanhas de Hitler quando invadia a Europa e bombardeava a Grã-Bretanha".

"Por quê atacam alguém que combate a Al-Qaeda?", questionou Kadhafi, que está no poder há 42 anos e acusa os rebeldes de ligação com a rede terrorista de Osama Bin Laden.

"Deixem a União Africana administrar a crise. A Líbia aceitará tudo o que a União decidir", destacou o ditador.

Os rebeldes líbios recuaram nesta terça-feira diante das forças leais a Muamar Kadhafi, e estavam a 100 quilômetros da cidade de Sirte, o próximo objetivo no avanço rumo a Trípoli, comprovou a AFP.

Os insurgentes, que avançavam desde domingo, foram bloquedos na segunda-feira à noite a 60 km de Sirte pelas forças de Kadhafi.

Mas na manhã desta terça-feira, viram-se obrigados a retroceder outros 40 km em consequência de um ataque das forças do regime. Os rebeldes se abrigaram na cidade de Nofilia.

Muitos deles afirmaram à AFP que esperavam "disparos dos aviões do (presidente francês Nicolas) Sarkozy" para recuperar a vantagem militar e marchar até Sirte.

Na noite de segunda-feira, o presidente americano, Barack Obama, afirmou em um discurso que os Estados Unidos não podem repetir os mesmos erros da guerra do Iraque, tentando derrubar Muamar Kadhafi, mas precisam agir quando seus "valores são ameaçados".

"Se tentarmos derrubar Kadhafi pela força, nossa coalizão vai se estilhaçar. Nós teríamos de mobilizar tropas terrestres americanas, ou arriscar matar muitos civis pelo ar", disse o presidente em discurso à nação.

"Os perigos que nossos homens e mulheres fardados teriam de enfrentar seriam muito maiores. Assim como os custos, e nossa fatia de responsabilidade sobre o que viria depois."

Fonte: AFP



Operation Odyssey Dawn: Pentágono mobiliza aviação tática em operações na Líbia

By on 29.3.11
AC-130 Gunship

Os Estados Unidos colocaram em prática novos meios de ataque na Líbia, destinados especificamente às forças em terra do ditador Muammar Gaddafi, anunciou nesta segunda-feira o Pentágono, que se defendeu de agir em apoio direto aos rebeldes. "Utilizamos os aparelhos A-10 e os AC-130 no final de semana", admitiu à imprensa um alto dirigente do Pentágono, o vice-almirante William Gortney, que preferiu não detalhar o tipo de alvos visados. O A-10 é um avião concebido para o apoio aéreo a curta distância, principalmente contra carros e blindados. O AC-130 "Spooky" é um aparelho de transporte modificado para o combate, adaptado com canhões de 105 mm para atingir alvos táticos em terra. Ao contrário de outros aviões empregados desde o início dos ataques, não carregam bombas teleguiadas a laser, suscetíveis de destruir centros de comando ou posições de defesa antiaérea. Ofensiva A contra-ofensiva rebelde vem sendo muito facilitada pelos ataques da coalizão contra as forças do coronel Muammar Gaddafi No entanto, segundo o representante do Estado-Maior das Forças Armadas americano, "não agimos em apoio direto à oposição, o que não faz parte de nosso mandato, não estando coordenados com os rebeldes". "Com tropas não muito bem organizadas e pouco sólidas", os rebeldes "beneficiam-se das ações que realizamos", admitiu porém. OTAN assume operações A resolução 1973 do Conselho de Segurança da ONU autoriza "todas as medidas necessárias para proteger a população", com exceção de uma ocupação do país". No plano operacional, a responsabilidade pela zona de exclusão aérea foi transmitida à Otan, mas os Estados Unidos continuam por enquanto a coordenar as missões "de ataques", ditas de proteção à população. No total, os aviões aliados efetuaram 1.602 saídas desde 19 de março e 60% delas são realizadas por aparelhos americanos. Seis mísseis Tomahawk já foram lançados contra o quartel-general da 32a brigada líbia, a mais potente das forças pró-Gaddafi; 199 mísseis cruzeiro também foram lançados, essencialmente nas primeiras horas da operação. Um dos submarinos americanos que participam da ação, o Providence, já deixou a zona de guerra, segundo o vice-almirante Gortney.

Fonte: Folha.com- Via Noticias Sobre Aviação.

Frases

Popular Posts

Postagens mais visitadas

Popular Posts