GeoEstratégia, Aviação, Defesa, História, Conflitos, dentre outras coisas...

domingo, setembro 30, 2012

Irã anuncia teste de mísseis anti aéreos Taer-2

By on 30.9.12
 Os Guardiões da Revolução, tropa de elite do regime iraniano, anunciaram nesta segunda-feira que haviam testado novos mísseis terra-ar de médio alcance, construídos para derrubar um avião inimigo a uma distância de 50 km. 

O novo sistema de defesa se chama Ra'ad (Trovão) e o exercício foi bem sucedido, informaram os Guardiões em comunicado publicado no site oficial. Os mísseis Taer-2 utilizados no sistema Ra''ad são construídos no país e são "mais avançados" do que os mísseis russos Buk, indicou a agência de imprensa Fars. Este tipo de míssil foi apresentado na sexta-feira em uma parada militar em Teerã, acrescentou. 

O Irã realiza há algumas semanas demonstrações de seu poderio militar, em um contexto de tensão crescente com Israel. Os dirigentes israelenses ameaçam com frequência efetuar ataques aéreos contra as instalações nucleares iranianas para impedir que o país fabrique uma bomba atômica, apesar de Teerã insistir no caráter civil de seu programa. Para Israel, considerado o único país com armas nucleares na região, o programa nuclear iraniano representa uma ameaça para sua existência.

No sábado, o general Mohammad Ali Jafari, comandante em chefe dos Guardiões da Revolução, considerou que uma guerra entre Israel e Irã está próxima e que seu país está pronto para este enfrentamento, que pode provocar a destruição do Estado hebraico. O general Amir Ali Hajizadeh, chefe da Força Aérea, alertou no domingo para um eventual ataque preventivo de Teerã, se Israel se preparar para uma ofensiva militar.

Fonte: Terra

Ilhas Senkaku: Não há acordo com a China.

By on 30.9.12
http://2.bp.blogspot.com/-7CkyNzd8wBs/UE8JwFbHj7I/AAAAAAAAIbk/tsO2Eq_1Giw/s1600/Senkaku.gifO primeiro-ministro japonês, Yoshihiko Noda, afirmou nesta quarta-feira em Nova York que não há um compromisso possível com a China sobre a soberania das ilhas Senkaku, reivindicadas por Pequim.

Noda considerou que a China havia entendido mal os problemas em questão e pediu o fim dos ataques contra interesses japoneses neste país.

Essas ilhas situadas no Mar da China Oriental "fazem parte integrante de nosso território conforme a nossa história e as leis internacionais", declarou Noda a jornalistas à margem da Assembleia Geral da ONU.

"Está muito claro que não há questões territoriais nesse sentido. Então não pode haver compromisso que signifique um retorno a partir desta posição básica. Devo dizê-los claramente", acrescentou o líder japonês.

A China está descontente com a recusa de Tóquio de reconsiderar a sua recente decisão de nacionalizar as ilhotas dessa região marítima reivindicada pelos dois gigantes asiáticos. O pequeno arquipélago é chamado pela China de Diaoyu, enquanto o Japão o denomina Senkaku.

A nacionalização "tem por objetivo garantir uma gestão estável" do arquipélago, afirmou o primeiro-ministro, lembrando que Tóquio havia reiterado "em diversas oportunidades" à China que havia transferido a propriedade, privada, dessas ilhas ao Estado japonês.

"Parece que a China ainda deve entender isso e, em razão de sua falta de compreensão, houve um ataque ou atos de violência e de destruição contra cidadãos e bens japoneses" na China, lamentou.

"Em circunstância alguma a violência deve ser tolerada, e pedimos vigorosamente à China que proteja esses cidadãos e esses bens", acrescentou Noda.

A China novamente acusou o Japão de "violação flagrante da integridade chinesa" durante uma reunião realizada entre as chancelarias dos dois países, nesta terça-feira à noite em Nova York.

Fonte: BAND

Irã critica retirada do Grupo 'Mujahedin do Povo' da lista negra americana

By on 30.9.12

O Irã criticou neste sábado a decisão dos Estados Unidos de retirar o grupo de opositores iranianos Mujahedin do Povo de sua lista de organizações terroristas, acusando Washington de "dois pesos, duas medidas", segundo a imprensa local. 

O departamento de Estado americano anunciou na sexta-feira ter retirado o Mujahedin do Povo de sua lista negra, após anos de lobby da organização, cuja direção está instalada em Paris. O governo americano "aplica dois pesos, duas medidas quando se trata de terrorismo", denunciou o ministério iraniano das Relações Exteriores em um comunicado. "O Irã condena veementemente a ação irresponsável do governo americano (...) que agora é responsável e deve prestar contas por todos os atos terroristas que (os Mujahedin do Povo) cometeram, cometem e continuarão a cometer no futuro", acrescentou o ministério. 

Movimento de esquerda fundado nos anos 1960 para lutar contra o xá do Irã, o Mujahedin do Povo se instalou no Iraque após a revolução islâmica de 1979, com o apoio do regime de Saddam Hussein, para realizar ações armadas contra o Irã durante a guerra entre os dois países. O grupo assegura que abandonou a luta armada, mas Teerã o considera responsável por milhares de mortes. Ao retirar este movimento de sua lista negra, "o governo americano prova que nenhuma de suas ações é lógica (...), na medida em que apoia oficialmente e na prática todos os crimes e atos terroristas do Mujahedin do Povo contra os iranianos, iraquianos e até mesmo americanos".

Fonte: UOL Notícias/AFP

OMS: apenas pacientes graves devem ser testados para novo vírus

By on 30.9.12
http://4.bp.blogspot.com/-J1pymQLwe_o/UGBIrfnvCwI/AAAAAAAABh0/KpdAVXehpMc/s320/virus+sarsMédicos só devem realizar testes para a detecção de um novo vírus se os pacientes estiverem muito doentes e internados com uma infecção respiratória, se passaram pelo Catar ou pela Arábia Saudita e se testarem negativo para as formas comuns de pneumonia e infecções, disse no sábado a Organização Mundial de Saúde (OMS).

O novo vírus recém-descoberto, da mesma família da SARS - Severe Acute Respiratory Syndrome, foi confirmado, até agora, em apenas dois casos em todo o mundo: um homem saudita, de 60 anos, que morreu por causa das suas infecções, e outro homem do Catar, que está internado em estado grave em um hospital em Londres. 

Em uma orientação atualizada, divulgada seis dias depois de emitir um alerta global sobre o novo vírus, a OMS disse que casos suspeitos devem ser estritamente definidos, a fim de limitar a necessidade de testar as pessoas com sintomas mais leves. Mas acrescentou que qualquer pessoa que tenha estado em contato direto com um caso confirmado e que tenha tido febre ou problemas respiratórios também deve ser testada.

A OMS disse em um comunicado que a sua nova definição tinha o propósito de "garantir uma identificação e investigação apropriada e eficaz dos pacientes que podem estar infectados com o vírus, sem sobrecarregar o sistema de saúde com exames desnecessários." A agência de saúde da ONU disse no domingo último que um novo vírus havia infectado um homem do Catar, que tinha viajado recentemente para a Arábia Saudita, onde outro homem com um vírus quase idêntico, morreu. 

O vírus é de uma família chamada coronavirus, que também inclui os vírus que causam o resfriado comum e a SARS - Síndrome Respiratória Aguda Grave, que surgiu na China em 2002 e matou cerca de um décimo das 8 mil pessoas infectadas no mundo todo

CUIDADOS INTENSIVOS
Uma porta-voz da Agência de Proteção de Saúde britânica, onde os cientistas estão analisando amostras do homem do Catar, encontraram uma compatibilidade com o caso fatal da Arábia Saudita no último fim de semana e relataram sua descoberta à OMS, e disse no sábado que o homem de 49 anos ainda está no CTI, ligado a um pulmão artificial que o mantém vivo. A OMS diz que até agora não há provas que sugiram que o vírus, potencialmente fatal, se espalhe facilmente de pessoa, para pessoa. Cientistas dizem que a composição genética do vírus sugere que ele pode ter vindo de animais, possivelmente morcegos. Seis casos suspeitos na Dinamarca, na semana passada, foram identificados como alarmes falsos.

Fonte: UOL Notícias
/Reuters

Bombardeios e combates tomam conta de várias cidades na Síria

By on 30.9.12
Bombardeios e combates mortais entre forças governamentais e rebeldes prosseguem neste sábado em toda a Síria, principalmente em Aleppo, cidade do norte do país abalada nos últimos dias por combates de intensidade sem precedentes. Em Damasco, o exército bombardeou as localidades de Ghouta oriental, onde os combatentes rebeldes têm forte presença, segundo o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH). Em Nova York, a oposição síria, que exige desde o início do levante em março de 2011 ajuda da comunidade internacional, recebeu na sexta-feira dezenas de milhões de dólares em ajuda adicional, mas essencialmente humanitária, da parte dos Estados.

 No terreno, os bombardeios deixaram muitos feridos nos bairros de Sakhour, Bab al-Hadid, Salaheddine e Karm al-Jabal, em Aleppo. Os combates continuam em Azizié e Arqoub, de acordo com o OSDH. Segundo esta organização baseada no Reino Unido e que se baseia em uma rede de ativistas e testemunhas, as lojas com portas de madeira do famoso souk do centro de Aleppo estavam "pegando fogo". Confrontos de magnitude sem precedentes ocorreram na quinta-feira e sexta-feira em Aleppo, palco de violentos combates há mais de dois meses. Uma fonte militar disse sexta-feira que vários ataques rebeldes foram repelidos, enquanto os insurgentes disseram ter progredido, mas sem fazer avanços significativos. Perto de Aleppo, um bebê de um ano de idade foi morto em um atentado a bomba que também feriu seu irmão e sua mãe em Maskana, de acordo com o OSDH. Em todo o país, pelo menos 72 pessoas, entre elas 31 civis, morreram neste sábado, de acordo com os dados provisórios da organização. No dia anterior, pelo menos 120 pessoas foram mortas em meio à violência, incluindo 71 civis, em um dia marcado, como toda sexta-feira, por manifestações contra o regime, de acordo com o OSDH, que acredita que mais de 30.000 pessoas morreram desde o início da revolta, há 18 meses. Perto de Damasco, os bombardeios em Ghouta têm como alvo os combatentes rebeldes. "Os militares querem destruí-los de uma vez por todas", disse à AFP o diretor do OSDH, Rami Abdel Rahman. Esta área é o principal reduto do Exército Sírio Livre (ESL, rebeldes) e do batalhão Tajamo Ansar al-Islam, um grupo jihadista que assumiu a responsabilidade por um atentado duplo na quarta-feira contra a sede do Estado-Maior, em Damasco. "O exército quer vingança e são os civis que pagam o preço", afirmou Matar Ismail, cidadão-jornalista baseado em Damasco, garantindo que o regime "tem executado sumariamente muitas pessoas".

Ajuda americana à oposição "civil"

Em Damasco, três civis foram mortos durante um ataque contra as forças do regime no bairro Barzé (noroeste), enquanto os confrontos em Tadamoun (sul) foram seguidos por perseguições. Na província de Deraa (sul), onde várias localidades foram bombardeadas, seis soldados foram mortos em combates. Os bombardeios também prosseguiram nas províncias de Homs e Hama (centro), Deir Ezzor (leste) e Idleb (noroeste), segundo o OSDH. Enquanto uma solução para o conflito é impensável no momento devido às divisões da comunidade internacional, a secretária de Estado americano Hillary Clinton dirigiu sexta-feira em Nova York, à margem da Assembleia Geral da ONU, uma reunião do grupo dos "Amigos do Povo Sírio", na presença de 20 países. Hillary anunciou uma ajuda humanitária adicional de 30 milhões de dólares "para o povo sírio" e 15 milhões de dólares para a oposição síria civil e desarmada. Rejeitando qualquer ajuda militar direta e uma intervenção armada na Síria. A ONU estima que mais de 700.000 sírios estarão refugiados até o final do ano em países vizinhos. Além disso, revisou para mais, a 488 milhões de dólares, a ajuda necessária para os refugiados. A Turquia abriga atualmente mais de 80.000 refugiados oficialmente registrados em vários campos no sudeste do país. Paralelamente, Ancara protestou depois de um projétil disparado na sexta-feira a partir do lado sírio da fronteira ter ferido uma pessoa e causado estragos em uma localidade do país.

Fonte: UOL Notícias/AFP

Novas imagens do J-15

By on 30.9.12

No final da década de 90 a China comprou da Ucrânia um Su-27 Naval construído originalmente pelos russos. Da desmontagem deste e sua análise é que partiram os engenheiros chineses para desenvolver a "sua" versão do Su-33 que deverá operar no recém entregue porta-aviões chinês Liaoning.

O Coronel Igor Korotchenko, da Força Aérea Russa criticou o aparelho alegando em sintese que seria um "produto inferior" substimando assim a capacidade dos chinses. A época ele disse: “É improvável que o clone chinês J-15 alcance o mesmo desempenho e caraterísticas do SU-33 russo e não me admiraria se a China voltasse às negociações com a Rússia sobre a compra de SU-33".

De fato posteriormente os Russos negaram categoricamente a venda do Su-33 original aos Chineses.
Que tinham como "problemas" a solucionar asas dobraveis e principalmente o motor já que o WS-10 chinês não tinha a potencia nem a qualidade desejada.

Eis que agora o China Defense Blog publica varias fotos do J-15, que ao que parece está em boa forma e com os problemas aventados pelo Coronel Russo aparentemente resolvidos...








Chile rejeita categoricamente pedido de acesso ao mar para Bolívia

By on 30.9.12
O ministro das Relações Exteriores do Chile, Alfredo Moreno, rejeitou "categoricamente" o pedido que a Bolívia formulou a seu país para obter uma saída ao mar, alegando que não existem problemas de limites pendentes entre as nações, já que os estabelecidos no Tratado de 1904 são respeitados plenamente. "A Bolívia carece de um direito para reivindicar uma saída soberana ao mar", afirmou Moreno nesta sexta-feira na Assembleia Geral da ONU, acrescentando que "o Chile cumpriu cabalmente as obrigações contraídas" no citado tratado, cuja renegociação pediu o presidente da Bolívia, Evo Morales, em seu discurso de quarta-feira no mesmo fórum.

Moreno apontou neste sentido que Morales se referiu "a sua reivindicação marítima em termos que se apartam das normas de boa convivência entre as nações", e disse que o Chile "não deixou de expressar à Bolívia sua disposição ao diálogo sobre a base do pleno direito aos tratados vigentes". 

O ministro declarou que seu país permite "o mais amplo livre trânsito" por seu território, "através de uma infraestrutura de ótima qualidade, como reconhecem os próprios bolivianos", assim como que "o respeito aos acordos de limites entre países vizinhos é uma base de convivência e garantia da paz internacional".

Além disso, reafirmou que a Constituição boliviana aprovada em 2009 "introduziu disposições que transgridem o marco do direito internacional" e que são, portanto, "inexequíveis" a seu país. "Me vejo na obrigação de rejeitar categoricamente o lugar, as afirmações e acusações formuladas contra meu país", ressaltou Moreno, que lembrou que seu país já apresentou uma resposta a Morales na Assembleia Geral, usando o direito de réplica. 

Em seu discurso perante a 67ª sessão da Assembleia Geral, Morales reivindicou que o Chile não podia "ignorar o direito boliviano e prolongar o fechamento geográfico imposto pela força", e solicitou o acompanhamento da comunidade internacional para pôr fim ao "enclausuramento" de seu país e reparar este "dano histórico".

O Tratado de Paz e Amizade de 1904 fixou a soberania chilena sobre territórios que a Bolívia perdeu durante a Guerra do Pacífico, entre 1879 e 1884. Isso representou sua perda de acesso ao mar, um assunto que dificultou desde então os vínculos entre os países, que não têm relações bilaterais em nível de embaixadores desde 1978. Na última Assembleia da Organização dos Estados Americanos (OEA), realizada em junho deste ano na cidade boliviana de Cochabamba, a Bolívia pediu ao Chile a renegociação do tratado e reiterou sua intenção de apresentar um requerimento perante o tribunal de Haia.

Fonte: BOL/EFE

Chanceler uruguaio denuncia na ONU mudança de governo no Paraguai

By on 30.9.12
http://2.bp.blogspot.com/-O-cpXgnTrWA/T0wENJ_lx-I/AAAAAAAAF8U/9SeYI8pzShk/s1600/UruguaiLuis-Almagro.jpgO ministro das Relações Exteriores uruguaio, Luis Almagro, condenou neste sábado (29), na Assembleia Geral da ONU, "a ruptura da ordem democrática" no Paraguai, que significou a destituição de Fernando Lugo e a nomeação de Federico Franco como novo presidente. "Em nossa região recebemos ameaças com um componente ideológico importante. A tentativa de golpe de Estado no Equador e a ruptura da ordem democrática no Paraguai, mostram que os governos foram afetados no desenvolvimento de suas políticas", disse Almagro.

"Fatos recentes, como os que aconteceram no Paraguai, demonstram que o Estado de Direito ainda está sujeito a armadilhas e que, apesar dos avanços realizados em termos de institucionalidade democrática em todas as nossas nações, as ameaças à plena vigência dos direitos fundamentais e aos valores democráticos ainda persistem", acrescentou o chanceler ao discursar no grande encontro anual da ONU em Nova York. "O Estado de Direito e a democracia não são valores adquiridos, mas sim valores que devem ser defendidos a cada dia como bens preciosos", alertou. O Mercosul e a Unasul (União das Nações Sul-americanas) suspenderam o Paraguai em represália pela destituição de Fernando Lugo, em um julgamento político sumário pelo Congresso em junho, um fato que recebeu críticas unânimes dos governos latino-americanos.

Na quinta-feira, Federico Franco denunciou na ONU a difícil situação internacional do Paraguai por causa desse isolamento, mas alertou que "não nos vencerão" e que continuarão no caminho democrático até as eleições de 2013. Durante seu discurso deste sábado, o chanceler Almagro condenou, o "embargo injustamente imposto contra Cuba", se juntando aos outros governos latino-americanos que exigem dos Estados Unidos o fim desta medida unilateral que já dura mais de 50 anos. Almagro denunciou "as graves violações aos direitos humanos que estão acontecendo na Síria" e disse que o Uruguai "apoia o papel mediador" da ONU. Luis Almagro também fez referência à aspiração de seu país de ser eleito como membro não-permanente do Conselho de Segurança da ONU para o período 2016-2017.

Fonte: BOL/AFP

RQ-450: Drone para vigiar fronteiras do País

By on 30.9.12
Aviões-robô são capazes de localizar pessoas em movimento e transmitir imagens ao vivo

Com um formato incomum, mais parecendo um míssil, a FAB (Força Aérea Brasileira) tem treinado a utilização dos aviões-robô RQ-450 para vigiar as fronteiras do País. Denominados Vant (Veículos Aéreos Não Tripulados), as duas aeronaves adquiridas pela corporação podem ser o futuro das operações aéreas no Brasil.

Segundo a FAB, o último teste dos aviões-robô RQ-450 aconteceu durante a Rio+20, em junho, quando o avião transmitiu imagens ao vivo para a central de operações que cuidava da segurança do Rio de Janeiro.

Em nota divulgada pela corporação, o brigadeiro Maximo Ballatore Holland, do Estado Maior da Aeronáutica, afirma que, como os aviões-robô são capazes de transmitir ao vivo imagens das áreas de interesse, é possível ter uma nova dinâmica nas ações de comando, que permite um ganho maior de dados de inteligência e uma tomada de ações mais rápida.

A estreia dos RQ-450 foi na fronteira do Brasil com a Colômbia. Ali, durante a Operação Ágata 1, em agosto de 2011, um Vant monitorou pistas de pouso clandestinas que pouco depois foram bombardeadas por aviões de caça. A atuação dos aviões não tripulados do Brasil não ficou só por ali. Em junho deste, o governo da Bolívia afirmou que a destruição de 240 laboratórios de drogas na fronteira foi possívels graças ao patrulhamento dos Vant brasileiros.

Holland afirma também que os aviões também pode ser usados como auxílio em situações de calamidade e ações de segurança. Em operações como a Ágata, por exemplo, quando além das Forças Armadas participam órgãos de segurança pública e organizações como o Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis e a Receita Federal, a Força Aérea pode fornecer informações de acordo com a demanda de cada um deles.

De acordo com a FAB, as imagens transmitidas digitalmente dos aviões são obtidas em cores ou em preto e branco, quando é usado o modo infravermelho que permite identificar pessoas à noite ou sob árvores. Os novos aviões têm também sistemas de comunicações aperfeiçoados, designador laser e são equipados com um radar de última geração que identifica alvos móveis no solo, através de uma função denominada MTI (Indicador de Alvo Móvel, na tradução em português).

Para quem está no chão, no entanto, é difícil enxergar os novos aviões. Com 10,5 me de de envergadura e 6,1 m de comprimento, a aeronave é pintada em cores claras e pode voar em altitudes de até 5.500 mm além de seu ruído ser bastante difícil de ser ouvido.
Os RQ-450 tem autonomia de voo de até 16 horas, o suficiente para, se necessário, uma dupla de aeronaves manter a vigilância de uma determinada área de interesse de forma ininterrupta.

Além dos dois aviões-robô, o contrato do governo brasileiro com a empresa Aeroeletrônica, subsidiária da israelense Elbit, assinado em 2010, incluiu uma estação de solo, sensores e a logística inicial associada, em um investimento de mais de R$ 48 milhões.

Treinamento
As duas primeiras unidades recebidas pela FAB estão alocadas no Esquadrão Hórus, da Base Aérea de Santa Maria, no interior do Rio Grande do Sul. Criado em 2011, o esquadrão já voou mais de 600 horas com seus RQ-450 em treinamentos.

Para garantir a segurança do equipamento, foi definido de que somente aviadores podem ter o controle dessas aeronaves. Apesar de não levar tripulantes a bordo, o RQ-450 é comandado por uma dupla de militares que permanecem em uma cabine de controle no solo. Por este motivo, a Força Aérea designa o avião-robô como uma ARP (Aeronave Remotamente Pilotada).



Fonte: R7.com - Midiacon

Obama paralisa parques eólicos chineses nos EUA por ameaça de segurança

By on 30.9.12
 O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, bloqueou uma empresa privada chinesa de construir turbinas eólicas perto de uma base da Marinha norte-americana no Estado de Oregon, devido a preocupações com a segurança nacional. A companhia prometeu contestar a ação do presidente na Justiça.

A rara ordem presidencial ocorre em meio à campanha de Obama para um segundo mandato, na disputa contra o republicano Mitt Romney, que o acusou de ser muito brando com a China. A Ralls Corp, que estava instalando geradores de turbinas eólicas feitos na China pelo Sany Group, tem quatro projetos de parques eólicos que estão dentro ou próximos de um local com espaço aéreo restrito em uma instalação de treinamento de sistemas de armas navais, de acordo com o governo. 

"Há evidências palpáveis que me levam a acreditar" que a Ralls Corp, o Sany Group e dois executivos do Sany Group que são dono da Ralls "possam tomar ações que ameacem prejudicar a segurança nacional dos Estados Unidos", afirmou Obama ao emitir a sua decisão. 

A Ralls Corp entrou com um processo contra o Comitê de Investimentos Estrangeiros dos Estados Unidos, pelo fato de o órgão ter ordenado a paralisação de todas as construções e operações em seus projetos enquanto o painel do governo completava suas investigações e finalizava sua recomendação a Obama. Após a decisão anunciada na sexta-feira, a empresa afirmou estar confiante de que a Justiça vai sustentar os direitos da Ralls Corp na lei e na Constituição.

Fonte: UOL Notícias/Reuters

sábado, setembro 29, 2012

Quer que brigue para sempre... Israel lamenta retomada de negociações entre Irã e Argentina

By on 29.9.12
Autoridades de Israel lamentaram na sexta-feira, 28, a decisão do governo argentino de se reunir com o Irã para discutir o atentado de 1994 na entidade judaica Amia, que Teerã é suspeito de ter patrocinado.

A presidente argentina, Cristina Kirchner, determinou que seu chanceler aceite a solicitação de diálogo feita nesta semana pelo Irã em Nova York. A decisão reverte a postura argentina anterior no caso, e foi criticada por líderes judaicos em Buenos Aires.
 
As relações entre Argentina e Irã estão praticamente congeladas desde que autoridades obtiveram em 2007 mandados de prisão da Interpol para cinco iranianos e um libanês acusados de envolvimento no atentado, que matou 85 pessoas. O Irã nega ter ligação com o ataque.

"O relatório da investigação comandada pela equipe especial da procuradoria geral argentina determinou em detalhes e sem dúvida que a decisão de explodir... o prédio foi tomada pelos escalões superiores do governo iraniano", disse nota divulgada pela embaixada israelense em Buenos Aires.


"Esperamos que mantenha esses indícios em mente durante suas reuniões com os iranianos."

Fonte: Estadão

Série de erros causou tragédia na Antártida

By on 29.9.12
Pelo menos duas falhas humanas teriam provocado o incêndio que matou dois militares e destruiu 70% da base brasileira em fevereiro. Um deles: o diesel que alimenta os geradores de energia vazou, e o responsável pela operação não viu. Teria saído antes para uma confraternização. O outro, o alarme desligado. Temiam que disparasse devido ao uso de gelo seco na festa. E o que aponta inquérito ao qual o Correio teve acesso com exclusividade.
http://1.bp.blogspot.com/-ZgIprfCzXko/T0-T7_upLpI/AAAAAAAAAuQ/M4tEm-GtTWY/s1600/Fogo_base_antartica.jpg
Correio teve acesso ao inquérito aberto para apurar as causas do incêndio que destruiu a Estação Comandante Ferraz. Alarme estava desligado e um operador deve ser indiciado por homicídio culposo 

O inquérito policial militar (IPM) que investiga as causas do incêndio que matou dois militares e destruiu 70% da Estação Comandante Ferraz, na Antártica, em fevereiro deste ano, aponta que houve uma sucessão de falhas, entre elas, erros humanos que agravaram a situação.
De acordo com informações do IPM, às quais o Correio teve acesso, o processo de transferência de combustível do tanque secundário para os geradores de energia, que é acionado manualmente, deveria ter sido feito durante o dia, e não à noite, como ocorreu. O responsável por essa operação também deveria ter acompanhado da sala de máquinas toda a operação. Mas ele se ausentou do local na hora. Além disso, as investigações, que devem ser concluídas até novembro, indicam que o sistema de alarme estava desligado naquela madrugada de 25 de fevereiro.
A constatação dos investigadores é que o combustível transbordou no momento em que era transferido para os geradores, se espalhou pelo chão e pegou fogo. O tanque, com capacidade para 6 mil litros, fica ao lado dos cinco geradores movidos a óleo diesel que fornecem a energia para a estação. Três peritos da Polícia Federal (PF) analisam se o vazamento ocorreu por falha humana ou das válvulas do equipamento, que não têm mecanismo automático de fechamento e precisam ser abertas e fechadas manualmente.
De acordo com as normas de segurança da estação, o procedimento, que dura cerca de meia hora, deve ser feito durante o dia e sob vigilância ininterrupta de um funcionário responsável. Porém, de acordo com o IPM — que corre em sigilo — um funcionário iniciou o processo e se retirou em seguida para participar da festa de despedida da pesquisadora Theresinha Monteiro Absher. O operador informou aos investigadores que voltou ao local no tempo devido para concluir a transferência e culpou os equipamentos.
Os militares explicaram que as reuniões de confraternização são comuns na base, uma forma de aliviar o estresse e a ansiedade de quem fica, no mínimo, seis meses longe de casa, em uma região inóspita. De acordo com as normas, o consumo de bebidas alcoólicas é controlado pelo comandante da base. São oferecidas, no máximo, duas latas de cerveja ou duas taças de vinho para cada membro da equipe.
Com relação ao sistema de alarme, segundo os depoimentos, na madrugada em que o acidente ocorreu, o equipamento foi desligado para não ser disparado acidentalmente pela fumaça de gelo seco. Essa fumaça é usada em pistas de dança. Durante a festa, os sensores poderiam captar a fumaça e disparar o alarme. Mas a pesquisadora Theresinha Absher negou o uso de gelo seco na confraternização.
Homicídio culposo
A ideia era desligar o alarme apenas dos alojamentos e do refeitório, mas o oficial responsável desativou todos os setores, incluindo a garagem e a casa de força. Este oficial não deve ser indiciado pelo erro. Mesmo que o alarme fosse disparado, não haveria possibilidade de apagar o fogo.
Já o responsável pelos geradores poderá ser indiciado por homicídio culposo — quando não há a intenção de matar —, negligência e imprudência. Essas acusações, porém, ainda dependem da conclusão da perícia da PF. Os demais brasileiros na estação, entre eles 30 pesquisadores, um alpinista que presta apoio às atividades de pesquisa, um representante do Ministério do Meio Ambiente e 12 funcionários do Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro, são apenas testemunhas no inquérito.
O Correio ouviu a pesquisadora Theresinha Monteiro Absher. Ela assegurou que o alarme “jamais” era desligado e não houve festa com uso de gelo seco. “Não há a menor possibilidade disso ter acontecido. O alarme nunca era desligado. Fizemos uma reuniãozinha depois do trabalho. Não existe essa de festa com gelo seco na Antártica. Temos que passar por essa fase de suposições. Foi um trauma horrível que aconteceu com a gente. Mas temos de pensar em como restabelecer a base”, disse ela.

Canopy de F-5EM se desprende

By on 29.9.12
A peça que se desprendeu de uma aeronave modelo F-5EM em junho deste ano foi encontrado nesta sexta-feira (28) em Santa Cruz, na Zona Oeste do Rio de Janeiro. Já haviam sido feitas buscas com sobrevôo de aviões e helicópteros, mas o canopy, que protege a cabine de pilotagem, não foi encontrado na ocasião. As informações são da Força Aérea Brasileira (FAB).
 
Na ocasião, o piloto voltou em segurança para a Base Aérea de Santa Cruz mesmo a peça. Segundo a FAB, não houve relato de moradores do bairro sobre a queda. A localização do canopy vai contribuir para a conclusão das investigações, que começaram logo após o acidente.
 
Fonte: G1

Reino Unido quer parceria

By on 29.9.12
O primeiro-ministro britânico, David Cameron, disse ontem que o crescimento da economia brasileira nos últimos anos tornou o país um parceiro preferencial do Reino Unido. Na sua primeira visita oficial ao Brasil, ele reuniu-se com empresários, na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e deixou claro o interesse em apoiar investimentos em áreas como energia e petróleo, infraestrutura, defesa, educação e indústria farmacêutica, consideradas de grande potencial nas relações entre os dois países. Segundo o site do diário Financial Times, Cameron espera que sejam assinados acordos comerciais no valor de US$ 165 milhões durante sua estada no país.
“No ano passado, o Brasil ultrapassou a Grã-Bretanha e tornou-se a sexta economia do mundo. E nós temos um ditado: se você não pode vencê-los, junte-se a eles”, disse, para descontrair a plateia. “O Brasil vai ter de investir em geração de energia e queremos participar disso”, acrescentou. “Na área de defesa, nós podemos ajudar no processo de modernização das forças armadas brasileiras, como dois países amigos podem e devem fazer.”

O primeiro-ministro disse que também espera investimentos brasileiros em seu país, apresentado como uma economia amigável aos negócios, pouca burocracia, e com a vantagem adicional de fazer parte do maior mercado do mundo, a União Europeia. A aproximação com nações que vem crescendo de forma mais acentuada nos últimos anos é uma estratégia para fazer a economia britânica sair da recessão em que se encontra. Não à toa, Cameron, que será recebido hoje pela presidente Dilma Rousseff, em Brasília, chegou ao país à frente de uma das maiores delegações empresariais já formadas pelos britânicos, com mais de 50 integrantes.

http://4.bp.blogspot.com/-K8BHccGdv_g/UAcEaHPporI/AAAAAAAAAQA/K3zQjhYyeAA/s640/mapa%2520do%2520brasil%2520cercado.jpgProjetos
O interesse do Reino Unido pelo Brasil cresceu com eventos como a descoberta do pré-sal, a realização da Copa do Mundo em 2014 e das Olimpíadas em 2016, o anúncio de grandes projetos na área de infraestrutura, como portos e ferrovias, além dos planos militares citados pelo próprio Cameron. Coincidindo com a visita, a General Dinamics UK, uma gigante no setor de defesa, anunciou a abertura de um escritório no Rio de Janeiro.
Ainda ontem, o primeiro-ministro participou da inauguração da segunda fábrica da multinacional inglesa JCB, líder mundial na fabricação de retroescavadeiras, na cidade de Sorocaba, no interior paulista, um investimento de US$ 100 milhões.
No encontro da Fiesp, o presidente da entidade, Paulo Skaf, lembrou que, apesar do grande relacionamento econômico do passado, o comércio bilateral não passa atualmente US$ 8 bilhões por ano, muito pouco diante do volume de transações dos dois países com o resto do mundo. Skaf lembrou ainda que foi um inglês, Charles Miller, o introdutor do futebol no Brasil. Cameron pegou a deixa: “O futebol é uma boa metáfora para as coisas que estamos discutindo aqui. Os britânicos inventaram o jogo, mas ele foi aperfeiçoado pelos brasileiros”, concluiu.

Fonte: Correio Brasiliense/NOTIMP/FAB

Morre Hebe Camargo

By on 29.9.12
A apresentadora Hebe Camargo morreu em São Paulo, neste sábado (29), aos 83 anos. Ela lutava contra o câncer desde 2010 e morreu, segundo a assessoria do SBT, após sofrer uma parada cardíaca, ao se deitar para dormir, nesta madrugada.
Hebe é um dos maiores ícones da televisão brasileira e ficou internada pela última vez por quase duas semanas em agosto, no Hospital Albert Einstein, em São Paulo. Nos últimos dois anos passou por várias cirurgias e tratamentos contra o câncer.
O velório será realizado no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo do Estado de São Paulo, no Morumbi, a partir das 18h deste sábado – o carro funerário chegou à casa da apresentadora por volta das 16h15. Já o sepultamento está marcado para as 9h30 deste domingo (30), no cemitério Gethsemani, segundo funcionários do local e o governo do Estado de São Paulo.

A morte da diva causa repercussão entre artistas e políticos brasileiros nesta tarde. A apresentadora Ana Maria Braga publicou no Twitter uma homenagem: “Os amigos do Sorriso da TV brasileira, Hebe, choram a Estrela que se vai. Saudade”, escreveu."Uma mulher estupenda, corajosa, e uma entrevistadora franca e leal. Vai deixar muitas saudades. O exemplo dela foi dignificante", declarou o deputado federal pelo PP de São Paulo, Paulo Maluf. Já o apresentador Jô Soares comentou a impressão que Hebe causava nas pessoas: "Uma vez, eu fui intérprete de uma entrevista dela com várias pessoas. E todas se referiam a ela como uma grande senhora, uma grande estrela. Ela realmente tinha uma certeza do que fazia que era sensacional. Ela estava acima do bem e do mal”.

Em mais de 60 anos de história na televisão brasileira, a apresentadora tinha um estilo próprio de entrevistar as pessoas. Ela se tornou popular com a expressão “gracinha”, usada para elogiar convidados. Outra marca registrada de Hebe era dar selinhos nos entrevistados que passavam por seu famoso sofá.
“Estamos perdendo uma mulher que é um marco da televisão brasileira (...). Nos acostumamos a tê-la como uma de nós”, disse a atriz Irene Ravache, completando que estar com Hebe era "uma festa".
Biografia
Nascida em Taubaté (SP), a 130 km da capital, Hebe Maria Monteiro de Camargo Ravagnani começou a carreira cantando. Entrou para a TV logo após a fundação da primeira emissora brasileira, a TV Tupi, onde ela fazia aparições nos programas como cantora.

Estreou como apresentadora em 1955, no programa “O mundo é das mulheres”, na TV Carioca, a primeira atração voltada especialmente para mulheres. Antes disso, havia substituído Ary Barroso no programa de calouros apresentado por ele.
Depois disso, a apresentadora ficou afastada da TV por um período, até que em 1966 estreou o dominical que levava seu nome na TV Record. A atração contava com o músico
Caçulinha e era líder de audiência. Foi responsável por dar espaço para novos talentos ligados à Jovem Guarda.

Para dedicar-se ao filho, Hebe ficou afastada da televisão por cerca de dez anos, quando voltou a aparecer na TV Bandeirantes. Em 1985, aceitou o convite do SBT para comandar uma atração na emissora. Em quatro de março de 1986, entrava no ar o “Programa Hebe”, comandado por ela até 2010. Em dezembro do mesmo ano, Hebe assinou contrato com a RedeTV e estreou na emissora em março de 2011, onde ficou até este mês, quando acertou retorno ao SBT.

Segundo a assessoria do SBT, ela estava muito feliz com a volta à emissora.

Carreira musical
Famosa como apresentadora, ela não deixou de lado a carreira musical. Após lançar três discos entre 1959 e 1966, compilou suas canções mais conhecidas no CD “Maiores sucessos”, de 1995. Depois, lançou mais quatro discos. "Pra você" (1998), "Como é grande meu amor por você" (2001), "As mais gostosas da Hebe" (2007) e "Hebe mulher" (2010, ano em que participou do Grammy Latino).

O último álbum da carreira contou com participações de Daniel Boaventura e Roberto Carlos. Em todos os discos, o repertório foi abastecido por canções românticas.

'Morrer feliz da vida'
A apresentadora foi diagnosticada com câncer no peritônio, membrana que envolve os órgãos do aparelho digestivo, em janeiro de 2010. Em sua primeira gravação após 12 dias internada para a retirada de nódulos e para o início do tratamento quimioterápico, Hebe mostrou gratidão com fãs e celebridades que a apoiaram. “Posso até morrer daqui a pouco, que vou morrer feliz da vida”, comentou em março de 2010, ainda no SBT.

Na ocasião, Hebe subiu ao palco ao som de Ivete Sangalo, Ney Matogrosso, Leonardo e Maria Rita cantando juntos. “Vocês são a causa disso tudo. Me colocaram nesse pedestal que eu não mereço. É impossível encontrar palavras para descrever esse momento”, disse para a plateia. Depois, entoou “Ó nóis aqui traveis”, samba do grupo Demônios da Garoa.
Novas internaçõesEm setembro de 2011, Hebe iniciou um novo tratamento contra o câncer, com sessões de quimioterapia preventivas. "Não estou doente, apenas continuo me tratando pra poder ficar com vocês muito tempo ainda", disse. Por conta do retorno ao tratamento, ela havia voltado a perder cabelo e, consequentemente, a usar perucas.

"Evidentemente, todo remédio forte causa algum problema. O meu problema é que eu, de novo, fiquei carequinha. Eu não estou careca, mas quase. Então, evidentemente, estou de peruca", afirmou, em comunicado enviado à imprensa. Ela ainda brincou, referindo-se ao ator Reynaldo Gianecchini, que fazia um tratamento contra um câncer no sistema linfático. "Vou sair linda, igual ao Reynaldo Gianecchini”, disse.

Nos últimos dois anos, Hebe passou por várias cirurgias e tratamentos contra o câncer. Em janeiro de 2010, a apresentadora ficou 12 dias internada para retirada de nódulos na região do peritônio e iniciou tratamento quimioterápico. Em 2011, fez novas sessões de quimioterapia preventivas. Em março de 2012, passou por uma cirurgia de emergência para retirar um tumor que causava obstrução intestinal, ficando 13 dias no hospital. Em junho, realizou uma nova cirurgia de emergência para retirada da vesícula. No mês de julho, segundo o sobrinho Claudio Pessutti, ficou internada por cinco dias para a realização de exames.

Fonte: G1

quarta-feira, setembro 26, 2012

Bell 206 Ex-Carabinieri para a Argentina

By on 26.9.12
A Dirección de Aviación del Ejército Argentino negociou a compra de 20 helicópteros Agusta Bell 206 anteriormente pertencentes ao Carabinieri italianos.

A compra, segundo se informa, teria sido feita em condições muito vantajosas para a Argentina, pois parte do pagamento seria feito através da entrega de três Alenia (ex-Fiat) G222 que se encontram fora de serviço no Aeródromo Militar de Campo de Mayo.

A assinatura do acordo realizou-se em 25 de junho passado.

Fonte: S&D

AS 555 Fennec: Russos interessados no 'Ecureuil'

By on 26.9.12
As autoridades militares russas reconheceram em Setembro de 2012 o seu interesse na eventual aquisição do helicóptero ligeiro AS355 da Eurocopter.

Os russos estarão interessados na aeronave para utilização em missões de transporte ligeiro e missões especiais.

As autoridades russas adquiriram um destes helicópteros ao fabricante Eurocopter em 2011 e iniciram um processo de avaliação por parte dos militares no ano passado, mas só agora - mais de um ano depois - é que as autoridades reconhecem oficialmente o interesse.

A Eurocopter não emitiu nenhum comunicado a propósito da venda, mas um jornal russo publicou fotografias de forças especiais russas a utilizar o AS355 em exercícios.

A aquisição esteve envolvida em alguma polémica, pois chegou a ser alegado que aquisição tinha sido feita por decisão pessoal do ministro da defesa russo Anatoly Serdiukov, mas que as autoridades militares russas não tinham mostrado qualquer interesse na aeronave.

Na declaração oficial emitida pelo ministério da defesa, foi afirmado que os russos pretendem avaliar a aeronave, nomeadamente como helicóptero de instrução para pilotos de helicópteros.


O reconhecimento do interesse russo, explica-se pela necessidade de aprofundar o processo, que passará pelo envio para a Rússia de equipes de técnicos europeus, que deverão supervisionar o processo.


O AS355 Ecureuil 2 é um helicóptero ligeiro com dois motores para utilização civil. A versão militar é conhecida como AS555 Fennec. Tanto na versão com dois motores como na versão monomotor o «esquilo» está ao serviço de vários países do mundo em 16 forças armadas e 12 forças de policia. A versão civil está ao serviço em 15 países.

Ilhas Senkaku: Navios japoneses e de Taiwan disparam canhões de água

By on 26.9.12
Navios japoneses e taiwaneses dispararam canhões de água uns nos outros nesta terça-feira, 25, em confronto causado pela disputa de pequenas ilhas no Mar da China. O confronto ocorreu quando 40 barcos pesqueiros e 12 barcos de patrulha vindos de Taiwan entraram na área próxima às ilhas.

A guarda costeira do Japão afirmou que as embarcações ignoraram os alertas para que saíssem do território e que só recuaram quando os canhões de água foram disparados. Essa foi a primeira incursão taiwanesa na área das ilhas desabitadas conhecidas como Senkaku em japonês e Diaoyu em chinês. China, Japão e Taiwan reclamam para si a região, que é administrada por Tóquio.
 
Também nesta terça-feira, os ministros de Relações Exteriores da China e Japão encontraram-se para discutir a questão. Após quatro horas de reunião, ocorrida na sede do Ministério de Relações Exteriores da China, o porta-voz Hong Lei afirmou que os dois lados tiveram conversa "franca e profunda" e que concordaram em continuar as discussões. Ele reiterou também que a "China jamais tolerará atos unilaterais japoneses que violem a soberania territorial da China". 

Fonte: Estadão

Vem aí disputa sobre satélites de comunicação

By on 26.9.12
As notícias da área bélica só ganham as manchetes nos grandes eventos. No dia a dia, são citadas em sites especializados e revistas internacionais. No Brasil, os comentários de bastidores estão pegando fogo. Há críticas de todo lado, por se considerar que, na escolha da empresa responsável pelo Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras (Sisfron), o governo optou pela Savis, desconhecida empresa do grupo Embraer. Os especialistas dizem que foi outra empresa do grupo Embraer, a Atech S/A, quem fez o projeto básico do empreendimento. Como diria Arnaldo Cézar Coelho, a lei - de licitações, a 8.666 - é clara: quem fez o projeto básico, não pode participar da licitação principal, pois teria enormes vantagens em relação aos concorrentes. 

http://1.bp.blogspot.com/_yrCwPxCcEXA/TSorfEcE4WI/AAAAAAAAAO0/0sWsnGwJWAw/s1600/Sisfron.jpgA própria Embraer emitiu comunicado, informando a vitória do consórcio Tepro - formado por suas coligadas Savis, Orbi Sat e Harpia. Participaram da licitação inúmeros consórcios, entre os quais gigantes como Odebrecht, Queiróz Galvão, Andrade Gutierrez - esta junto com a francesa Thales, a antiga Thomson - OAS, Sinergy - de German Efromovich - em associação com a Embratel, do homem mais rico do mundo, Carlos Slim. Cada processo teria 20 mil páginas, tendo tudo sido julgado em apenas 16 dias úteis. O editor do site Defesanet, Nelson During, afirmou: "As empresas, temerosas de questionar o Exército Brasileiro ou a Embraer Defesa e Segurança, tendem a aceitar a decisão". 

No setor, teme-se que a Embraer saia na frente em outros projetos bilionários, como ocorrerá brevemente com satélites de comunicação. O Sisfron envolve R$ 12 bilhões, mas a parte agora entregue à Embraer se limita a R$ 1 bilhão. A Embraer tem 51% da Visiona, empresa criada para tratar de satélites geoestacionários. Questiona-se, no mercado que, como 49% da Visiona pertencem ao governo - via Telebrás - essa empresa tenha status especial em Brasília, ou seja, que venha a ser tida como quase estatal. 

Uma fonte explica à coluna ser admissível, no mercado mundial, a GFEs, ou seja, empresas que o governo exige que sejam utilizadas - na sigla em inglês para government furnished equipment. A Embraer comprou a Orbisat após esta ter ganho contrato de produção de radares. Como o Exército desenvolveu excelentes radares - Saber M60 e Saber M200, além do Sentir - a força armada tem o direito de impor a Orbisat. O que setores políticos temem é que, em vez de diversas empresas estratégicas de defesa (EED), como criado por lei, surja uma empresa semi-estatal de Defesa, a Embraer misturada com a Telebrás - recebendo consentimento tácito de parte do Governo Federal. 

Ilhas Senkaku: Em meio a tensão com Japão, entra em operação 1º porta-aviões chinês

By on 26.9.12
 O porta-aviões chinês Liaoning (anteriormente designado Hsi Lang de forma não oficial) entrou oficialmente ao serviço da marinha do exército popular de libertação (designação oficial da marinha chinesa).

A entrada ao serviço decorre numa altura de tensao entre a China e o Japão, por causa da posse das ilhas (ou rochedos) de Senkaku, que são controlados pelo Japão desde o século XIX mas que a China considera como sendo território chinês, utilizado pelos seus pescadores desde há séculos.


Estas crises e a necessidade da China de demonstrar mesmo perante a sua própria opinião pública que está a fazer tudo para se reforçar perante o Japão, poderão justificar uma entrada ao serviço do porta-aviões quando a China nem sequer possui aviões para utilizar no navio.

O Liaoning não possui qualquer aviação de asa fixa, embora a China não esconda os seus planos para futuramente equipar o navio com essa capacidade.

Em principio, caças derivados da série «Flanker» que a china fabrica em Shenyang sob a designação J-11 (J-15 na versão naval que estará em desenvolvimento) poderão vir a fazer parte do complemento do navio.

Para já a China utilizará a plataforma para testes e eventualmente como arma de pressão política.
Além de aeronaves, o Liaoning transportará helicópteros, mas também está equipado com os seus próprios sistemas defensivos, armado portanto com mísseis anti-aéreos de curto e médio alcance.

Embora aparentemente possa estar equipado como navio almirante, com um centro de comando e controlo, sem aviões ele não pode garantir a proteção aérea aos navios que o venham a escoltar (como acontece por exemplo com os porta-aviões norte-americanos).
Também existem algumas dúvidas sobre a situação em que se encontra o sistema motriz do navio. Sabe-se que apenas três das quatro turbinas estavam no navio quando este foi vendido pela Ucrânia.
As caldeiras do Liaoning são do mesmo tipo que equipa outros navios de guerra de origem russa, como o porta-aviões Vikramaditya, que recentemente sofreu problemas com as suas caldeiras durante testes de aceitação.


 As autoridades chinesas afirmam que o navio servirá para treino e pesquisa, no entanto a frase tem um duplo sentido, já que a pesquisa a que os chineses se referem é pesquisa na área dos sistemas de armas, equipamentos e muito importante, criação de doutrinas e táticas para utilização de porta-aviões.

Falta de catapultas


O Liaoning, terá o seu principal calcanhar de Aquiles, quando comparado com porta-aviões modernos como os norte-americanos ou como o francês, na sua incapacidade em utilizar catapultas para projetar os aviões.
 
Na verdade, quando houver aviões disponíveis, ele poderá lançar os seus aviões, mas a falta de uma catapulta para os lançar, implica alterações muito importantes ao nível da gestão de espaço na coberta, o que reduz o número de aeronaves que podem ser lançadas para atacar um potêncial inimigo.
Este quesito mostrou ser da maior importância durante a II guerra mundial, altura em que o domínio do porta-aviões foi estabelecido.

Países como a India, que mantem uma corrida aos armamentos com a China que é dificil de disfarçar para lá das declarações de circunstâncias, ainda recentemente anunciou que os seus futuros porta-aviões passariam a contar com catapultas.


Também a Grã Bretanha, que tem dois porta-aviões em construção, mudou de ideias quanto aos porta-aviões sem catapultas, mas os custos de conversão são de tal forma elevados que a ideia foi arquivada.


A França é o único país (além dos Estados Unidos) a possuir um navio porta-aviões moderno dotado de catapultas, que conseguem colocar no ar mais aviões de ataque que o porta-aviões Liaoning.

 
O Brasil também possui um navio com essas capacidades, mas desde que foi comprado há mais de dez anos, o São Paulo, antigo Foch da marinha francesa, nunca esteve ao serviço durante muito tempo, voltando ao estaleiro para reparar contínuas avarias. O programa brasileiro também tem sofrido alterações por causa da falta de aeronaves adequadas para operar a partir do São Paulo.

Os restantes países que possuem porta-aviões nas suas esquadras (Itália, Espanha e Tailandia [1]) utilizam aeronaves de descolagem vertical e prevêm a utilização dos seus navios para utilizações específicas.

Fonte: Area Militar

[1] – O navio tailandês é uma versão reduzida do navio espanhol Principe de Asturias. Em meados de 2012 foi anunciado que a marinha da Espanha estuda retirar o Principe de Asturias de serviço para reduzir despesas.

Nota: A inauguração do porta-aviões ocorre em um momento de forte tensão diplomática entre China e o Japão, gerada quando Tóquio adquiriu de um empresário japonês três ilhas do arquipélago Diaoyu/Senkaku, controlado de fato pela administração japonesa mas que Pequim reivindica há décadas.




UE acusa EUA de não terem eliminado subsídios à Boeing

By on 26.9.12

A União Europeia (UE) rejeitou nesta terça-feira, em notificação enviada à Organização Mundial do Comércio (OMC), as alegações do governo dos Estados Unidos de que teria eliminado todos os subsídios à americana Boeing.

Fontes diplomáticas informaram que Bruxelas pediu novas consultas com Washington por considerar que a notificação americana do último domingo - na qual os EUA afirmavam que cumpriram a exigência da OMC de retirar determinadas ajudas estatais à Boeing - não se ajusta à realidade.
A UE explicou que revisou as anunciadas medidas do governo americano, chegando à conclusão de que os EUA continuam mantendo uma série de subsídios, disseram as fontes.

Em sua reivindicação, a UE disse que as ações e eventos enumerados pelos EUA 'não representam uma retirada dos subsídios nem seus efeitos adversos, como requer o Acordo sobre Subsídios e Medidas Compensatórias (SMC)' da OMC.

Os EUA garantiram no domingo que as medidas adotadas nos últimos meses incluem a supressão de pagamentos e acessos a instalações, equipamentos e funcionários facilitados pela Nasa em virtude de contratos públicos, assim como de pagamentos e acesso a instalações e serviços do Departamento de Defesa em favor da Boeing.

Washington reconheceu que as medidas favorecedoras resultaram em vantagens competitivas de mercado para os modelos Boeing 737 e 787, e em prejuízos competitivos para os modelos A320, A330 e A350 do consórcio europeu Airbus.

As explicações não bastaram à UE, que argumentou que os EUA 'mantém subsídios específicos que causam os atuais efeitos adversos aos interesses da UE', e que Washington 'fracassou ao cumprir as recomendações e decisões do Órgão de Solução de Controvérsias (OSD) da OMC'.

Esta última notificação é mais um capítulo da batalha comercial vivida há anos por EUA e UE, que se acusam mutuamente de subvencionar ilegalmente seus respectivos gigantes aeronáuticos, Boeing e Airbus, e apresentaram ações paralelas na Organização Mundial do Comércio.

No caso de Boeing, o OSD cifrou em US$ 5,3 bilhões o valor da ajuda recebida entre 1989 e 2006, principalmente através de subsídios da Nasa e do Departamento de Defesa e por meio de diversas isenções fiscais.

No caso da Airbus, a OMC ratificou que as ajudas foram de US$ 18 bilhões, e desde abril um painel do OSD avalia o descumprimento por parte da UE das recomendações feitas em junho de 2011. 

Fonte: Exame

Shahed 129: Irã apresenta 'seu' drone "hermes"

By on 26.9.12
A Guarda Revolucionária do Irã apresentou um avião teleguiado de longo alcance e fabricação local, capaz de atingir a maior parte do Oriente Médio, inclusive o arqui-inimigo Israel, disse a TV estatal nesta terça-feira. O aparelho de reconhecimento Shahed 129 consegue voar até 2 mil km e é capaz de levar bombas e mísseis, disse o canal, sem dar mais detalhes.

Israel atualmente ameaça atacar instalações nucleares iranianas por causa das suspeitas, negadas por Teerã, de que o país está desenvolvendo armas atômicas.

O Irã promete retaliar qualquer ataque que sofrer, e no domingo o chefe da divisão aeroespacial da Guarda Republicana, Amir Ali Hajizadeh, disse que o Irã pode bombardear preventivamente Israel se tiver certeza de que está prestes a ser atacado.

Nos últimos dias, o Irã vem anunciando outros feitos de defesa e engenharia, como um sistema antiaéreo nativo, mas alguns analistas duvidam da veracidade desses relatos.

Fonte: Terra



terça-feira, setembro 25, 2012

Brasil adia decisão sobre caças para 2013; Boeing tem mais chances

By on 25.9.12
A presidente Dilma Rousseff decidiu esperar até meados de 2013 para tomar uma decisão sobre a compra de novos caças para a Força Aérea Brasileira (FAB), num contrato de bilhões de dólares, no qual a Boeing passou a ter mais chances por causa das suas recentes parcerias com a Embraer, disseram duas fontes oficiais à Reuters.
O Brasil pretende gastar pelo menos US$ 4 bilhões na aquisição de 36 novos caças, numa das transações de defesa mais observadas nos últimos anos nos países emergentes. Os finalistas são a americana Boeing, a francesa Dassault Aviation e a sueca Saab. 

Dilma pretende avisar o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, sobre o adiamento durante um possível encontro dos dois nesta semana em Nova York, em meio à reunião anual da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), disseram as fontes, pedindo anonimato.

A própria Dilma tomará a decisão sobre a empresa fornecedora dos jatos, numa compra que será crucial durante décadas para moldar as alianças estratégicas e militares do Brasil, que busca se firmar como uma grande potência global. 

A concorrência está suspensa em parte por razões orçamentárias, segundo um dos funcionários. Dilma acaba de travar uma dura disputa com funcionários públicos por aumentos salariais, e seria politicamente difícil aprovar um gasto de bilhões de dólares para equipamentos militares tão pouco tempo depois de alegar restrições financeiras para elevar salários.
http://1.bp.blogspot.com/_Ero1CA_Vd7U/TTWdVl3xuOI/AAAAAAAABio/ZydcM3Nt_Og/s1600/Finalistas+FX-2+Brasil.jpg
"As conversas (internas) se tornaram mais específicas e mais focadas, e acho que estamos chegando perto de uma decisão", disse uma das fontes. "Mas isso não será anunciado em 2012". 

A disputa já dura mais de uma década, passando por três governos, e apontar o ganhador se tornou algo como apostar no vencedor em um jogo de futebol que nunca acontece. Mesmo assim, as notícias sobre as deliberações de Dilma são acompanhadas atentamente, e às vezes influem nas cotações das ações mercantis dos finalistas, em parte devido à falta de outros grandes contratos militares na Europa e EUA. 

A Reuters noticiou em fevereiro que Dilma estava inclinada pelo caça Rafale, da Dassault. Mas, depois disso, surgiram novas preocupações sobre o custo elevado do avião francês e especialmente sobre os termos da partilha de tecnologia, algo que Dilma considera crucial para definir o vencedor, segundo as autoridades. 

Enquanto isso, a Boeing ganhou pontos ao anunciar uma série de parcerias com a Embraer, que está agressivamente ampliando suas operações de defesa. Em julho, a Embraer disse que a Boeing irá fornecer sistemas de armas para o caça Super Tucano, e a empresa dos EUA também está ajudando no desenvolvimento do KC-390, um jato de reabastecimento em voo e transporte militar da Embraer. 

Também em fevereiro, a Reuters informou que a Boeing havia congelado o preço da sua oferta desde 2009, uma situação incomum, que parece ter beneficiado a relação custo-benefício do seu caça F-18 em comparação ao Rafale. O custo unitário dos jatos não foi divulgado. "A Boeing está definitivamente aparecendo melhor nos últimos meses", disse um segundo funcionário. 

Ambas as fontes disseram que a Saab, que disputa com o caça Gripen NG, está num distante terceiro lugar na disputa. Funcionários de Defesa dizem que Dilma precisa tomar a decisão logo, porque a frota atual da FAB está se tornando cada vez mais obsoleta e cara de manter. Além disso, o Brasil está sob pressão para melhorar sua capacidade defensiva como parte dos preparativos para a Copa do Mundo de 2014 e a Olimpíada de 2016. 

Fonte: Terra

Frases

Popular Posts

Postagens mais visitadas

Popular Posts