GeoEstratégia, Aviação, Defesa, História, Conflitos, dentre outras coisas...

domingo, maio 31, 2015

EUA pagam 20 milhões de dólares a supostos criminosos nazistas

By on 31.5.15
Ao todo, 133 pessoas suspeitas de colaboração com os nazistas e da autoria de crimes durante a Segunda Guerra Mundial receberam das autoridades dos EUA cerca de 20,2 milhões de dólares em prestações sociais, informa a agência Associated Press, citando o relatório do inspetor-geral do Departamento da Segurança Social americano.

O relatório, que será publicado na próxima semana, diz que quase um quarto desse montante (5,7 milhões de dólares) foi pago aos que foram deportados dos Estados Unidos após a revelação da cooperação com os nazistas. Mais de 14 milhões dólares americanos foram pagos a pessoas que supostamente ajudaram o Terceiro Reich e não foram deportados do país. Aproveitando as lacunas da lei, o Departamento de Justiça dos Estados Unidos instou ex-nazistas a deixarem o país em troca de benefícios, escreve AP.
Nota-se que o Estado fez estes pagamentos no período de fevereiro de 1962 a janeiro de 2015. Mas o documento não indica os nomes de ex-criminosos de guerra nazistas, apenas o seu número.

O relatório foi preparado sete meses depois da Associated Press ter publicado os resultados de sua própria investigação segundo a qual, desde 1979, o Departamento de Justiça dos Estados Unidos pagou milhões de dólares a 38 de 66 supostos criminosos de guerra e guardas nazistas dos campos de concentração. Além disso, "pelo menos quatro ex-nazistas que participaram da perseguição de judeus e outros civis durante a Segunda Guerra Mundial, ainda vivem na Europa e recebem pagamentos", afirmou a agência.

Futuro: DARPA previu tecnologias atuais em 2001

By on 31.5.15

Filme produzido pela agência de desenvolvimento de armamento norte-americana inclui várias tecnologias que ainda não eram conhecidas na altura.



É sabido que parte da tecnologia atual teve origem em filmes de ficção-científica ou obras de inventores ao longo da história que ficaram por completar.
lgo que pode ter dado à DARPA algumas ideias para produzir o filme 'Strategic Cyber Defense'.
Lançado em 2001, este filme da autoria da agência de desenvolvimento de armamento dos EUA já inclui algumas tecnologias atuais, com o Engadget a notar, por exemplo, interfaces de computador ativadas por voz, análise de comportamento, tradução em tempo real ou defesas virtuais automáticas.

Do Noticias ao Minuto

Photoshop: Pentágono descarta lançamento de míssil balístico submarino por Pyongyang

By on 31.5.15
O Pentágono não acredita que a Coreia do Norte tenha feito um teste com um míssil balístico submarino durante o fim de semana, como anunciou Pyongyang, e declarou que o país asiático ainda está muito longe de desenvolver esta capacidade.

A Agência oficial norte-coreana de notícias (KCNA) noticiou no sábado sobre um novo teste com um potente míssil submarino, o que foi negado pelas autoridades americanas.

"Não foi um míssil balístico", disse um funcionário da Defesa americana à AFP, sem dar maiores explicações, diminuindo a importância do teste, sustentando que não representou nenhuma façanha técnica para a Coreia do Norte.

"Estão tentando desenvolver esta capacidade", mas não houve nenhuma ameaça "iminente" de um míssil submarino lançado da Coreia do Norte, disse o funcionário, que preferiu ter sua identidade preservada.

Segundo especialistas americanos, a Coreia do Norte comprou velhos submarinos russos para tentar copiar sua tecnologia de lançamento de mísseis.

Nas primeiras horas de sábado, no entanto, a agência oficial norte-coreana indicou que "foi feito um teste com um potente míssil estratégico submarino. O míssil balístico foi desenvolvido com iniciativa pessoal do Comandante Supremo do Exército Popular coreano, Kim Jong-Un".

O líder norte-coreano, que supervisionou pessoalmente a operação de lançamento, saudou este "êxito revelador" e o comparou ao lançamento de um satélite, em 2012, acrescentou a KCNA.

Detalhes sobre o lançamento do míssil permanecem desconhecidos. Alguns analistas sugerem que o míssil teria viajado apenas algumas centenas de metros e que não foi considerado um teste de voo completo.

A Coreia do Sul pediu à Coreia do Norte que suspenda o programa e avaliou que Pyongyang está na "primeira etapa" de desenvolvimento de mísseis submarinos.

Mas uma autoridade da Defesa em Seul, falando sob a condição do anonimato, disse que a Coreia do Norte poderia ter um submarino totalmente operacional, armado com mísseis balísticos em quatro ou cinco anos.

"Todo teste" de mísseis balísticos disparados de um submarino "violaria pelo menos quatro resoluções da ONU" e seria "outro exemplo de repúdio da Coreia do Norte ao respeito das regras internacionais", declarou o coronel Steven Warren, porta-voz do Pentágono.

As duas Coreias mantêm um enfrentamento sobre a localização exata de sua fronteira marítima no Mar Amarelo. Desde o fim da guerra da Coreia (1950-1953), com um simples cessar-fogo, Pyongyang e Seúl continuam tecnicamente em guerra.

Do Diário de Pernambuco

EUA resgatam dois pilotos sauditas no golfo de Áden, na fronteira com o Iêmen

By on 31.5.15
Militares americanos resgataram na quinta-feira dois pilotos sauditas após a queda de seu avião de combate no Golfo de Áden, na fronteira com o Iêmen, informaram nesta sexta-feira fontes do Pentágono.

Os pilotos participavam da ofensiva liderada pela Arábia Saudita no Iêmen contra os rebeldes houthis, mas o acidente não se deveu a fogo inimigo, mas a um problema mecânico, segundo as primeiras investigações americanas.

Não foram revelados detalhes sobre o estado de saúde dos pilotos, mas fontes do Pentágono indicaram que já receberam atendimento médico.

A pedido da Arábia Saudita, os EUA realizaram o resgate dos pilotos com um helicóptero HH-60 que saiu da base regional de Djibuti.

A operação de resgate durou duas horas, segundo as fontes da Defesa americana.

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, ligou hoje para o rei saudita, Salman bin Abdul Aziz, para expressar seu apoio à operação militar da coalizão liderada pelo país no Iêmen contra os rebeldes houthis.

"O presidente e o rei Salman concordaram em que o objetivo coletivo é conseguir uma estabilidade duradoura no Iêmen por meio de uma negociação política facilitada pelas Nações Unidas que envolva todas as partes", informou a Casa Branca em uma nota.

A ligação aconteceu no segundo dia da operação árabe "Tempestade da Firmeza" contra o movimento xiita, na qual participam Arábia Saudita, Kuwait, Catar, Emirados, Bahrein, Egito, Jordânia, Marrocos e Sudão.

Os Estados Unidos não se envolverão diretamente no terreno, mas oferecem apoio logístico e de inteligência.

A previsão é que a intervenção militar no Iêmen se efetue em seis períodos e conte com a participação de 185 aviões de combate, a maioria deles sauditas.


Do UOL

Rússia desenvolve Novo super porta-aviões

By on 31.5.15
O Centro de Pesquisa Estadual de Krylovsky (KRSC) apresentou o modelo de um novo porta-aviões conhecido como 23000 "Storm", publicou o jornal Rossiyskaya Gazeta.

Além de porta-aviões construídos para a Marinha da Rússia, os projetistas criaram uma versão para exportação do navio, que pode ser extremamente interessante para muitos compradores estrangeiros.
A usina de força do navio pode ser convencional ou nuclear, dependendo dos pedidos de compradores em potencial. O novo porta-aviões tem capacidade para carregar 100 mil toneladas, tem 330 metros de comprimento, 40 metros de largura e calado de 11 metros. O navio tem uma velocidade máxima de 30 nós.

O "Storm" pode transportar 90 aeronaves no deck para várias missões de combate. O porta-aviões tem duas rampas e duas catapultas eletromagnéticas para lançar aeronaves de seu pátio.

Para se defender de ataques aéreos, o porta-aviões tem sistemas de defesa antiaéreos e antitorpedos.

sexta-feira, maio 29, 2015

Roménia: Caças F-16 portugueses já chegaram à base aérea 71

By on 29.5.15
Quatro caças F-16 portugueses chegaram esta segunda-feira à Roménia para realizar missões de patrulhamento aéreo no leste europeu, sob a bandeira da NATO, nos próximos dois meses.

Fontes militares adiantaram ao DN que o último grupo de militares da Força Aérea viu a sua partida, numa aeronave de transporte C-130, adiada para terça-feira.
Esta nova Força Nacional Destacada (FND), comandada pelo tenente-coronel piloto-aviador Francisco Dionísio, vai operar a partir da base aérea 71 (Turzii, Cluj) e envolve um contingente de 88 militares.
Os primeiros 18 efetivos partiram no passado dia 24 de abril para aquele país da Aliança, um dos países próximos da fronteira com a Ucrânia e onde a NATO decidiu reforçar a sua presença por causa da Rússia.
Em relação aos 30 militares do Exército que vão dar formação aos militares iraquianos num quartel próximo de Bagdade, a sua partida está prevista para quarta-feira, também num C-130, precisaram as fontes.

Do DN

A arma dos EUA que dispara pulsos eletromagnéticos no céu para destruir eletrônicos

By on 29.5.15
Uma das armas mais high-tech da Força Aérea dos EUA é a uma ferramenta que não machuca pessoas, mas destrói dispositivos eletrônicos.
O CHAMP – Projeto de Míssil Antecipado de Micro-Ondas de Alta Potência Contra Eletrônicos, na sigla em inglês – é um aparelho feito para fritar computadores. Ele emite fortes correntes de energia micro-ondas que podem derrubar servidores e infraestruturas inimigas inteiras sem explodir tudo ao redor.
A Força Aérea confirmou recentemente que o CHAMP está em atividade, apesar de ainda não ser possível enviá-lo em um míssil controlado remotamente. O Congresso americano recentemente pressionou a Força Aérea para preparar a tecnologia para combate, mas eles talvez estourem o prazo para entregá-la até 2016.
O CHAMP é certeiro o suficiente para mirar em prédios individuais, o que significa localizar com precisão sistemas específicos, derrubando-os sem destruir eletrônicos inocentes aos arredores. Diferente de bloqueadores de sinais, o CHAMP destrói ou danifica eletrônicos permanentemente, fazendo dele uma potente arma para atrapalhar planos inimigos.


Em 2012, a Boeing testou com sucesso um míssil que carregava o CHAMP, derrubando a energia de todos os dispositivos eletrônicos presentes em um prédio de dois andares. Para este teste, foi usado um míssil teleguiado AGM-86, mas o laboratório de pesquisa da Força Aérea recentemente escolheu o míssil ar-superfície JASSM-ER para carregar as armas CHAMP. Um drone ou aeronave também podem levar a arma, dependendo da missão.
Essa está longe de ser a primeira vez que militares fizeram experimentos com armas de pulsos eletromagnéticos. Ogivas nucleares, inclusive, geram energia eletromagnética capaz de fritar eletrônicos, mas elas também destroem uma grande área geográfica, além de matar incontáveis pessoas. O CHAMP é um passo à frente na guerra eletrônica porque é feito sob medida para minimizar danos colaterais. [Digital Trends via CNN] - Gizmodo

Professor de Harvard alerta sobre reais interesses dos EUA em crise na Fifa

By on 29.5.15
 "Eu estou chocado, você não está?", diz John Shulman ao atender a reportagem do UOL. Ele tem uma opinião diferente sobre o envolvimento dos Estados Unidos no escândalo da FIFA. Professor convidado da Fundação Dom Cabral, especialista em mediação de negociações, cofundador do Centro para a Negociação e a Justiça dos EUA, e formado em direito pela Universidade de Harvard, ele acredita que a intervenção "não teve cunho legal, mas geopolítico".

"Com essa ação, os EUA enviam dois recados. Para o mundo, o de que o nosso sistema legal pode te pegar se você estiver fazendo algo errado. Internamente, mostramos que tomamos a iniciativa de resolver a corrupção dos outros", diz o professor.

E John entende tanto de geopolítica quanto de futebol. Seu currículo de mediador inclui diversos trabalhos ao redor do mundo, incluindo no Oriente Médio, na Índia e em Ruanda. Sobre o "soccer", uma curiosidade: o hoje professor já jogou profissionalmente na Índia, onde, segundo ele, foi o primeiro jogador ocidental por aquelas bandas.

"Os Estados Unidos nunca deram a menor bola para o futebol. De repente, pela primeira vez na história, o The New York Times vem com a primeira página inteira falando do assunto. Aí eu me pergunto: por quê?", questiona John. Para o professor, há vários pontos obscuros no envolvimento americano. "A logística de uma operação internacional deste porte simplesmente não vale a pena. Até porque não há um número de vítimas nos EUA que justifiquem tamanha mobilização", argumenta ele. "Há empresas nos EUA muito mais corruptas do que a FIFA, pode ter certeza", crava o especialista.

"Para mim, trata-se claramente do seguinte: são os EUA mobilizando seu aparato legal interno em prol de questões geopolíticas. No caso, para colocar pressão na Rússia, com quem o país tem tido problemas recentemente, e no Qatar, onde também existem questões geopolíticas".

John cita ainda a chance para os EUA desestruturarem uma organização que, corrupta ou não, tem tentáculos de poder que fogem ao seu alcance. "A ONU está presente em vários países, mas os EUA têm poder sobre ela. Isso não acontece com a FIFA, o que causa uma ruptura da hegemonia americana."

Quer dizer, se você está feliz que alguém finalmente tomou a iniciativa de enquadrar a FIFA, comemore com moderação. "É claro que a FIFA é corrupta. Todo mundo sabe disso. Mas os EUA não estão fazendo isso pelo bem do futebol", completa John.

Do UOL

Frases

Popular Posts

Postagens mais visitadas

Popular Posts